Áfricas Contemporâneas: Do Continente às Diásporas; para pensar o universal a partir dos arquivos afro-diaspóricos

Curta a agenda:
Curta o CEERT:
Áfricas Contemporâneas: Do Continente às Diásporas; para pensar o universal a partir dos arquivos afro-diaspóricos / Imagem: Reprodução - USP

Ínicio: 19:00, Quinta, 10 de Outubro de 2019
Término: 18:30, Sábado, 19 de Outubro de 2019
Local: Conferir na programação!


De 10 a 19 de outubro de 2019, na Universidade de São Paulo – USP

Apresentação inicial

O evento pretende abrigar um conjunto de produções africanas contemporâneas que se debruçam a refletir sobre Áfricas no mundo e o mundo visto a partir de Áfricas.

Para tanto, serão convidadas e convidados pensadores, ativistas e artistas da África do Sul, Angola, Cabo Verde, Egito, Mali e Senegal, africanos da diáspora em Portugal, bem como da Inglaterra, que, em suas obras, no campo acadêmico, no campo da intervenção social e política, nas artes ou nas produções culturais, colocam em questão o lugar do continente africano como o território da falta, da perda e da necessidade bem como a diáspora vista apenas sob o ângulo da fuga, da impossibilidade, da fragilidade do continente (econômica, social e intersubjetiva) e da subalternidade das suas populações no mundo. Visam, nesse sentido, desmistificar a compreensão de Áfricas e das diásporas desde a perspectiva do colonialismo.

Serão trazidos à cena os movimentos políticos e sociais que se dão nas sociedades africanas atuais; as produções intelectuais a partir do próprio continente e de suas trocas, deslocamentos e fricções; as territorialidades e subversões do espaço; o racismo e as desigualdades contemporâneas; gênero e diásporas africanas; a memória a partir de documentos históricos africanos; o papel das artes na produção de escritas e registros múltiplos. Tais temas provocarão debates que fazem tanto pensar a pluralidades de realidades africanas atuais como seus aportes para refletir dimensões universais em diferentes campos do saber e do fazer a partir de Áfricas.

 

A vinda das convidadas e dos convidados fomentará um intercâmbio necessário com pesquisas acadêmicas e criações artísticas e culturais brasileiras heterogêneas, que poderá se desdobrar no estabelecimento de convênios internacionais.

Com este intuito, o evento terá um formato híbrido que dialoga com as diferentes expressões e produções trazidas pelas convidadas e pelos convidados, assim como com o diverso público com quem o evento pretende estabelecer interlocuções.

Formato do Evento

O encontro será composto por conferências, mesas-redondas, colóquios, oficinas, intervenções, performances, projeções audiovisuais, exposições e apresentações musicais que transitarão entre a produção acadêmica e a arte, constituindo pontos de contato e tensionamentos, e que ocorrerão em diferentes lugares e territórios da cidade de São Paulo (Brasil), com duração de 9 dias, no período de 10 a 19 de outubro de 2019.

O evento é aberto e gratuito

Haverá tradução durante as atividades realizadas por convidadas e convidados da África do Sul, do Egito, do Senegal e da Inglaterra.

Público -alvo

O público-alvo do evento será de estudantes de graduação e de pós-graduação, estudantes de nível médio e técnico, professoras e professores, educadoras e educadores sociais, pesquisadoras e pesquisadores, artistas, produtoras/produtores e agitadores culturais, coletivos, movimentos, comunidades, organizações, ativistas e demais pessoas interessadas na temática.

Inscrições

O evento é aberto e não terá inscrições prévias, exceto nas atividades que serão realizadas no CPF-SESC (Centro de Pesquisa e Formação do SESC).

Cada local de atividade do evento terá previsto um número máximo de lugares, preenchidos de acordo com a chegada. Será divulgada em breve a lotação máxima de cada atividade.

Certificados

Serão emitidos certificados por atividade, após preenchimento dos dados cadastrais durante o evento e da lista de presença nas atividades.

Contatos

Para maiores informações, solicitamos envio de email.

Assunto: Evento Áfricas contemporâneas

Email: labi@usp.br (Laboratório de Estudos do Imaginário – LABI – IPUSP)

Pedimos a gentileza de enviar com cópia para: cpat@usp.br (Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho – CPAT – IPUSP)

Breve histórico da organização e apoios

O evento partiu de interlocuções entre diferentes instituições brasileiras e o Centro de Estudos sobre África e Desenvolvimento (CEsA) do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade de Lisboa (UL). 

Este Encontro Internacional é fruto de inquietações, reflexões e produções que se desdobraram na organização de proposta inicial desenhada por diferentes unidades da Universidade de São Paulo (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – FFLCH: Departamento de Geografia/Laboratório de Ensino e Material Didático – LEMADI; Instituto de Estudos Avançados – IEA – Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia, Política e Memória; Instituto de Estudos Brasileiros – IEB; Instituto de Psicologia – IP: Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho – CPAT/PST, Laboratório de Estudos do Imaginário – LABI/PSA e Laboratório de Psicanálise, Sociedade e Política – PSOPOL/PSC; Núcleo de Consciência Negra), pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), pela Casa das Áfricas/Amanar, pela UniDiversidade de Saberes e pelo Núcleo de Estudos Africanos (NEAF) da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Com vistas a fomentar a interdisciplinaridade e a troca entre diferentes grupos e instituições, a partir de interrogações comuns, o evento pôde se estruturar em uma organização conjunta que conta com a participação do Centro de Pesquisa e Formação (CPF) do SESC – São Paulo, da Fundação Perseu Abramo (FPA), da Biblioteca Comunitária Solano Trindade, da Biblioteca de Heliópolis – UNAS, do Centro Educacional Unificado – CEU Heliópolis – Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP), do Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos – CIEJA Campo Limpo – PMSP, Coletivo Perifatividade,  Comunidade Cultural Quilombaque, Fórum do Hip Hop, Núcleo Cultural Força Ativa. Tem o apoio cultural da Aparelha Luzia, da Biblioteca Mario de Andrade (BMA – PMSP), da N-1 Edições e da Tapera Taperá.

Deste solo constituiu-se como referência pesquisadoras e pesquisadores de diversas instituições nacionais e internacionais que passaram a compor a comissão científica do evento.

O evento conta ainda com o apoio dos seguintes programas de pós-graduação da USP: Programa de Pós-Graduação em Educação USP; Programa de Pós-Graduação em Estudos Brasileiros USP; Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana USP; Programa de Pós-graduação Interunidades em Estética e História da Arte USP; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica USP; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano USP; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social USP. Tem o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

Conta com o apoio institucional da ASA de Cabo Verde, da Embaixada de Cabo Verde em Portugal, do Institut Français  Brasil, do Consulado Geral da França em São Paulo e da Embaixada da França no Brasil.

Programa do evento

10 de outubro (1o Dia – Quinta)

Período: noite (18 – 22h)

Recepção

Abertura do evento com Apresentação de Carol Bezerra (local: Biblioteca Mario de Andrade –  Espaço Tula Pilar Ferreira)

Conferência  (local: Biblioteca Mário de Andrade – Auditório)

“Afro-contemporaneidade: trabalho, projeto de sociedade e dinâmicas sociais vistos a partir das experiências e produções africanas”, FELWINE SARR  (Université Gaston Berger – Saint-Louis – Senegal).

Debatedoras: Iolanda Évora (Centro de Estudos sobre África e Desenvolvimento (CEsA) –ISEG – Universidade de Lisboa – Portugal) e Lia Dias Laranjeira (Universidade Federal da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB).

Capacidade do auditório: 170 pessoas.

Lançamento do livro

AFROTOPIA”, de Felwine Sarr   (N-1 Edições)

Biblioteca Mario de Andrade – Espaço Tula Pilar Ferreira 

Endereço: Rua da Consolação, 94 – centro – São Paulo.

11 de outubro (2º dia – Sexta)

Período: noite (18.30 – 22h)

Mesa-redonda (local: Tapera Taperá)

“Diálogos África-Brasil: legados e desconstruções a partir das políticas de relações internacionais”, com Gilberto Leal (Movimento Negro Unificado – MNU) e Matilde Ribeiro (Universidade Federal da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB; ex-ministra da Igualdade Racial).

Mediador: Celso Marcondes (Instituto Lula).

Tapera Taperá: Galeria Metrópole –  Av. São Luís, 187 – Centro – São Paulo

12 de outubro (3º  dia – Sábado)

Período: tarde (14 – 16h)

Oficina (local: Aparelha Luzia)

Escrita e performance, com Raquel Lima (Portugal).

Interlocutora: Silvia Lopes (Unifesp).

Aparelha Luzia: Rua Apa, 78 – Campos Elíseos – Centro – São Paulo.

13 de outubro (4º dia – Domingo)

Período: manhã (9 às 12h)

Inscrições afro-diaspóricas no centro de São Paulo

“Arquitetura e marcas afro-diaspóricas na cidade”, com Abílio Ferreira (escritor e jornalista).

Local: serão percorridos territórios do centro de São Paulo, a partir de roteiro proposto por Abílio Ferreira.

Ponto de encontro: Igreja da Boa Morte – Rua do Carmo, 202 (centro – SP)

Horário: 9h.

14 de outubro (5º dia – Segunda)

Período: tarde (14 – 17h)

Visita guiada “Áfricas extemporâneas” (local: IEB – USP)

(organização: Fernanda Padovesi Fonseca – Departamento de Geografia/FFLCH – USP, Jaime Oliveira – IEB –USP, Iris Kantor – Departamento de História/FFLCH-USP).

A partir da aproximação e pesquisa junto ao acervo documental (cartográfico, inclusive), bibliográfico e artístico presente no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP que se refere ao continente africano e a suas relações históricas com o Brasil, a exposição pretende suscitar compreensões e reflexões sobre a diversidade de iconografias a respeito de Áfricas bem como aos imaginários depreendidos da análise desses materiais, em uma visada interdisciplinar.

IEB – USP: Espaço Brasiliana – Av. Prof. Luciano Gualberto, 78 – Cidade Universitária – USP – Butantã – São Paulo.
Capacidade do auditório: 300 pessoas.

Período: noite (19 – 22h)

Projeções audiovisuais (local: SESC – Centro de Pesquisa e Formação – CPF).

Projeção de vídeo-performance “Relatos de uma rapariga nada pudica” (Cabo Verde/Portugal, 2017, 4´08 min)  e do documentário “Homestay ” (Cabo Verde, 2016, 15 min), seguido de debate com a cineasta Lolo Arziki (Cabo Verde/ Portugal/Luxemburgo). Temática: “Gênero, memória e experimentação”.

Interlocutora:

Erica Malunguinho (Aparelha Luzia e Alesp).

CPF-SESC: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar, Bela Vista  – São Paulo.
Capacidade: 70 pessoas.

15 de outubro (6º dia – Terça)

Período: manhã (9 – 12h)

Conferência (local: Auditório István Jancsó – Biblioteca Brasiliana – USP)

“Autogoverno, subversão dos espaços e territorialidade no Sahel”, com Amy Niang (University of the Witwatersrand – Joanesburgo – África do Sul). 

Debatedora: Marina Berthet (Núcleo de Estudos Africanos – NEAF/  Universidade Federal Fluminense – UFF). Debatedor: Mahfouz Ag Adnane (Mali/Brasil; Casa das Áfricas/Amanar).

Biblioteca Brasiliana – USP/ Auditório István Jancsó: Rua da Biblioteca – USP 

Capacidade do auditório: 300 pessoas.

Período: tarde (14 – 18h)

Mesa-redonda (local: Biblioteca Mário de Andrade – Espaço Tula Pilar Ferreira)

“Vozes e escritas: gênero e experiências africanas no mundo a partir da literatura”, com Bianca Santana (escritora, São Paulo), Jennifer Nascimento (escritora, São Paulo), Raquel Lima (escritora, Portugal), Uhuru Portia Phalafala (escritora e pesquisadora, África do Sul).

Mediadora e comentadora: Elaine Mineiro (UNEAFRO e Fórum de Cultura da Zona Leste).

Biblioteca Mario de Andrade: Rua da Consolação, 94 – centro – São Paulo.

Capacidade do auditório: 170 pessoas.

Período: noite (19 – 22h)

Encontro(Núcleo Cultural Força Ativa/ Biblioteca Comunitária Solano Trindade – Cidade Tiradentes).

Rap com Hezbó MC e LBC Soldjah (Cabo Verde/Portugal). “Cenas musicais afro-diaspóricas: os lugares do rap”.

Interlocutoras e interlocutores: Nando Comunista (rapper; militante do Coletivo de Esquerda Força Ativa; integrante do Fórum Hip Hop Municipal de São Paulo; professor da rede estadual de ensino); Pirata (rapper; integrante do Fórum Hip Hop Municipal de São Paulo); Sanara Santos (jornalista, cantora e poeta); Valéria Motta (professora da rede municipal de ensino e produtora cultural).

Biblioteca Comunitária Solano Trindade: Rua dos Têxteis, 1050 – Cid. Tiradentes – SP  

16 de outubro (7º dia – Quarta)

Período: manhã (9 – 12h)

Conferência (local: USP – Auditório István Jancsó – Biblioteca Brasiliana).

“Culturas africanas e mundialização”, com Bado Ndoye (Université Cheik Anta Diop – Dacar – Senegal).

Debatedor: Alain Pascal Kaly (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ).

Biblioteca Brasiliana – USP/Auditório István Jancsó: Rua da Biblioteca – USP.

Capacidade do auditório: 300 pessoas.

Período: tarde (14 – 17h)

Conferência (local: USP – Auditório István Jancsó – Biblioteca Brasiliana)

“Ativismos negros na contemporaneidade”, com Kehinde Andrews  (School of Social Sciences – Birmingham City University – Inglaterra).

Debatedora: Cleide Aparecida Vitorino (Faculdade Zumbi dos Palmares/Casa das Áfricas – Amanar) e Debatedor: Muryatan Santana Barbosa (Universidade Federal do ABC – UFABC).

Biblioteca Brasiliana – USP/Auditório István Jancsó: Rua da Biblioteca – USP.
Capacidade do auditório: 300 pessoas.

Período: noite (19 – 22h)

Filme (local: Aparelha Luzia)

Projeção do curta-metragem “The secret capital” (Egito, 2013, 28 min) e debate com o escritor e cineasta Mukhtar Saad Shehata (Egito) (filme dirigido junto com Samuli Schielke).

Comentador: Mahfouz Ag Adnane (Casa das Áfricas/Amanar e Centro de Estudos Culturais Africanos e da Diáspora – CECAFRO – PUC – SP).

Aparelha Luzia: Rua Apa, 78 – Campos Elíseos – Centro – São Paulo.

17 de outubro (8º dia – Quinta)

Período: manhã (9 – 12h)

Cine-debate (local: CEU Heliópolis – sala multiuso) 

“Olhares e narrativas sobre Áfricas”

Projeção e conversa sobre trechos do filme Fanon hier, aujourd’hui” (“Fanon aqui, hoje”, França, 2018, 87 min – direção: Hassane Mezine – Argélia/ França), que trata da atualidade do autor Frantz Fanon (filósofo, psiquiatra, ensaísta e ativista político nascido na Martinica em 1925) e de seus escritos sobre os movimentos de libertação anti-coloniais e o processo de descolonização.

Debatedor: Edson Eduardo (Casa das Áfricas/Núcleo Amanar, filósofo e educador).
Mediador: Celso Luiz de Oliveira Junior (FFLCH-USP/ECA-USP).

CEU Heliópolis: Estrada das Lágrimas, 2385 – Heliópolis – São Paulo. 
Capacidade da Sala Multiuso: 250 pessoas

Período: tarde (14 – 17h)

REGISTROS NA CIDADE

Intervenção artística de Tuwile Jorge Kin Braga e atividade junto ao CIEJA de Campo Limpo (Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos).

CIEJA Campo Limpo: Rua Cabo Estácio da Conceição, 176 – Parque Maria Helena – São Paulo.

Período: noite (18h30 às 22h30)

Mesa-redonda (local: Comunidade Cultural Quilombaque – Perus)

“Frantz Fanon e Pan-africanismo: racismo e desigualdades contemporâneas”, com Apolo de Carvalho (CEsA-ISEG-UL-Portugal), Hezbó MC (Cabo Verde/ Associação Moinho da Juventude – Portugal), LBC Soldjah (Cabo Verde/ Associação Moinho da Juventude – Portugal/ISCTE – IUL – Portugal), Mamadou Ba (Associação Luso-Senegalesa /Diaspora Afrique – Portugal) e Tago Elenua Dahoma (Ciclo de Formação Marcus Garvey).

Mediadora e comentadora: Cidinha da Silva (prosadora e pesquisadora); Mediador e comentador: Deivison Nkosi (Unifesp).

Comunidade Cultural Quilombaque: Travessa Cambaratiba, número 5 – Perus (ao lado da estação de trem Perus – linha rubi). 

18 de outubro (9º dia – Sexta)

Período: manhã (9 – 13h)

Mesa-redonda (loca: Auditório István Jancsó – Biblioteca Brasiliana – USP)

“Pensadores africanos contemporâneos e suas contribuições para (re)pensar o universal”, com Amy Niang (África do Sul), Bado Ndoye (Senegal), Iolanda Évora (Portugal) e Mamadou Ba (Portugal). 

Mediadora e comentadora: Sueli Carneiro (Geledés). 

Biblioteca Brasiliana – USP/ Auditório István Jancsó: Rua da Biblioteca – USP 
Capacidade do auditório: 300 pessoas.

Período: tarde/noite (16h às 21h)

Intervenções  (local: Biblioteca Mário de Andrade – Espaço Tula Pilar Ferreira) 

Apresentação das Dandaras grupo de samba de bumbo de Santana do Parnaíba.

Detalhamentos

Instalação Gênero, Memória e Identidade

Lolo Arziki (Cabo Verde/Portugal/Luxemburgo)

A instalação Gênero, Memória e Identidade visa fazer um retrato, retrospectiva dos filmes de Lolo Arziki que são uma viagem pelo cinema experimental Feminista afro contemporânea. A instalação segue de uma conversa sobre a experimentação e as culturas negras, quando o cinema experimental se torna acessível a artes e artistas negrxs e a sua relação com a tradição oral africana.

Encontro-Exposição Papyrus de Djehuty

Apolo de Carvalho (Portugal) e Mutuh Nyaneka (Angola/Brasil)

Reproduções do Projeto Papyrus de Djehuty (org. Apolo de Carvalho e Mutuh Nyaneka) – tema história e memória a partir de cartas e documentos históricos africanos (experiência do Projeto Papyrus de Djehuty) e Lançamento do site: Papyrus de Djehuty com Apolo de Carvalho. 

O projeto Papyrus de Djehuty é um espaço de aproximação a um conjunto de recursos imateriais africanos, no sentido de vulgarizar e democratizar saberes do continente. O espaço pretende ser um arquivo que promova o acesso, em português e na língua caboverdiana, a vários documentos históricos provenientes de fontes africanas, quais sejam as cartas, discursos e grande parte da biografia etc. de personalidades incontornáveis na longa história do pensamento africano. Considere-se, por exemplo, as cartas Amadou Hampâté Bâ, o Elogio de Samory Touré, a carta MandéA carta do imperialismo, a Carta de C.A.Diop a Senghor, dentre outros. Serão apresentados documentos sobre Patrice Lumumba, Amílcar Cabral, Amadou Hamapté Bâ, Kimpa Vita, Nhanha Bongolon, Harriet Tubaman, Donsolu Kalikan entre outros.

Apresentação de cartografia histórico-contemporânea dos principais movimentos panafricanos entre a África e as Diásporas, em um conjunto de elementos textuais e performáticos sobre a língua e o pan-africanismo, bem como diálogos artísticos. 

Biblioteca Mario de Andrade: Rua da Consolação, 94 – centro – São Paulo.

19 de outubro (10º Dia – Sábado) Período: manhã (10 – 14h)

Mesa-redonda (local: SESC – Centro de Formação e Pesquisa – CFP).

“Democratização de saberes a partir de narrativas e arquivos africanos”, com Maria Balbina dos Santos [Mam´etu kwa Nkisi Kafurengá] e Heráclito dos Santos Barbosa [Taata Luangomina], Alzira Félix dos Santos [Mam´etu Odemina] (representantes do Museu da Costa do Dendê de Cultura Afro Indígena – Bahia) (história oral e religião), Apolo de Carvalho (Portugal) (arquivos históricos), Raquel Lima (Portugal) (dança e performance), LBC Soldjah (Portugal) (música e teatro), Marcelo D´Salete (São Paulo) (desenhos e quadrinhos), Abílio Ferreira (São Paulo) (literatura) e Abisogun Olatunji (União de Coletivos Panafricanistas–São Paulo) (processos formativos).

Mediadora e comentadora: Eliane de Souza Almeida (Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (OBCOM) – ECA – USP; Rede Antirracista QUILOMBAÇÃO).

CPF–SESC: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar – Bela Vista  – São Paulo. 
Capacidade: 70 pessoas.

Lançamento (local: SESC – Centro de Pesquisa e Formação – CPF).

Lançamento do livro: “Pedagogia do Terreiro: experiências da primeira escola de religião e cultura de matriz africana do baixo sul da Bahia”, de Maria Balbina dos Santos [Mam´etu kwa Nkisi Kafurengá] e Escola Caxuté.

Período: tarde (16 – 18h30)

Mesa-redonda (local: SESC – Centro de Pesquisa e Formação – CPF)

“Gênero, produções e imagens afro-diaspóricas a partir do cinema”, com as cineastas Lolo Arziki (Cabo Verde) e Renata Martins (Rio de Janeiro), com a roteirista e crítica de cinema Viviane Pistache (São Paulo) e com a pesquisadora Marina Berthet (UFF – NEAF – RJ).

Mediadora e comentadora: Ana Julia Travia (diretora de cinema).

CPF–SESC: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar – Bela Vista  – São Paulo. 

Capacidade: 70 pessoas.

Endereços das atividades:

Aparelha Luzia: Rua Apa, 78 – Campos Elíseos – Centro – São Paulo. (https://www.facebook.com/aparelhaluzia/

Biblioteca Brasiliana – USP/ Auditório István Jancsó: Rua da Biblioteca – Cidade Universitária – USP – Butantã – São Paulo. (https://www.bbm.usp.br

Biblioteca Comunitária Solano Trindade: Rua dos Têxteis, 1050 – Cidade Tiradentes – São Paulo. (https://pt-br.facebook.com/BibliotecaSolanoTrindadeOficial/

Biblioteca Mario de Andrade: Rua da Consolação, 94 – centro – São Paulo. (https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma/

Centro de Pesquisa e Formação – CPF–SESC: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar, Bela Vista – São Paulo. (https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/

CEU Heliópolis: Estrada das Lágrimas, 2385 – Heliópolis – São Paulo. (https://pt-br.facebook.com/ceuheliopolis/)

CIEJA Campo Limpo: Rua Cabo Estácio da Conceição, 176 – Parque Maria Helena – São Paulo. (http://blogdociejacampolimpo.blogspot.com/)

Comunidade Cultural Quilombaque: Travessa Cambaratiba, número 5 – Perus (ao lado da estação de trem Perus – linha rubi). (https://pt-br.facebook.com/quilombaque/) (http://comunidadequilombaque.blogspot.com/

IEB – USP: Espaço Brasiliana – Av. Prof. Luciano Gualberto, 78 – Cidade Universitária – USP – Butantã – São Paulo. (http://www.ieb.usp.br/

Tapera Taperá: Galeria Metrópole –  Av. São Luís, 187 – Centro – São Paulo. (https://taperatapera.com.br/)

Expediente

Instituições organizadoras:

PORTUGAL   

Universidade de Lisboa (UL)
Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG)
Centro de Estudos sobre África e Desenvolvimento (CEsA)
                            

BRASIL                                                                                            

Biblioteca Comunitária Solano Trindade 
Biblioteca de Heliópolis – UNAS 
Casa das Áfricas
Núcleo Amanar
Centro Educacional Unificado – CEU Heliópolis – Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP)
Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos – CIEJA Campo Limpo – PMSP 
Coletivo Perifatividade
Comunidade Cultural Quilombaque
Fórum do Hip Hop
Fundação Perseu Abramo (FPA)
Núcleo Cultural Força Ativa
SESC 
     Centro de Pesquisa e Formação – CPF 
Universidade Saberes
Universidade Federal Fluminense (UFF)
    Núcleo de Estudos Africanos – NEAF  
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
     Instituto Cidades
Universidade de São Paulo (USP)
     Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – FFLCH
Departamento de Geografia
Laboratório de Ensino e Material Didático – LEMADI
Instituto de Estudos Avançados – IEA
Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia, Política e Memória – GPDH
Instituto de Estudos Brasileiros – IEB
Instituto de Psicologia – IP
Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho – CPAT/PST
Laboratório de Estudos do Imaginário – LABI/PSA
Laboratório de Psicanálise, Sociedade e Política – PSOPOL/PSC
Núcleo de Consciência Negra
Universidade Federal Fluminense, do Rio de Janeiro.
Núcleo de Estudos Africanos  

Curta a agenda:
Curta o CEERT: