COMUNICADO

LEIA

Hair Nah, o jogo que reafirma: não toque meu cabelo!

Autor: Amanda Sthephanie Data da postagem: 15:00 26/12/2017 Visualizacões: 2224
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Fonte da imagem: Todos Negros do Mundo

Quem nunca foi surpreendida com um dedo indicador apontado para seu cabelo crespo, acompanhado de uma voz nem sempre tímida dizendo “posso colocar a mão?”.

O comportamento já rendeu até músicas como Don’t touch my hair, de Solange, em que a artista defende que no cabelo estão sentimentos e que ele representa ainda sua coroa. Apesar de nossa insistência em dizer que nosso cabelo não pode ser folclorizado, há sempre alguém curioso demais a ponto de não se conter, nem ter bom senso.

É por isso que, para expressar sua frustração com a forma invasiva com que lidam com cabelos crespos, a diretora de arte Momo Pixel desenvolveu o Hair Nah, um jogo que apresenta uma tarefa simples (ou nem tanto assim): fugir das mãos que tentam tocar o cabelo da protagonista. O passatempo é uma forma de pedir respeito pelo próprio espaço de forma divertida e excêntrica, tendo em vista que as formas tradicionais de afastar as mãos curiosas nem sempre alcançam êxito.

Os jogadores podem escolher ainda o tom da pele negra da protagonista de Hair Nah, além do estilo de cabelo. Na tentativa de dizer “não” a quem tenta tocar os cabelos, a personagem pode viajar por Osaka, Santa Mônica ou Havana. Que o jogo faça com que as pessoas entendam o quão ofensivo é tratar alguém como se estivesse sendo exibido num zoológico, unicamente porque seu cabelo parece ‘diferente’ dos outros.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: