EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Ágatha Félix: mais uma vida e muitos sonhos interrompidos!

Autor: Giselle dos Anjos Santos Data da postagem: 17:28 23/09/2019 Visualizacões: 594
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Manifestação pela morte de Ágatha: cinco crianças já foram mortas em operações policiais no Rio em 2019 / Foto: Pilar Olivares - Reuters - Reprodução - EXAME

Mais uma vez assistimos sonhos serem interrompidos. Desta vez foi Ágatha Félix, uma menina negra de apenas 8 anos de idade, assassinada por um tiro de fuzil nas costas no Rio de Janeiro. O disparo foi proferido por um policial, aquele que na verdade, deveria protegê-la. Porém, Ágatha não é a única vítima!

O genocídio da juventude negra é uma realidade no Brasil. Segundo o Relatório Final da CPI do Senado sobre o Assassinato de Jovens (2016), um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no país, o que representa 63 mortos por dia e 23.100 por ano. A sociedade brasileira tem índices de assassinatos superiores a países em guerra, tal como o Afeganistão, a Somália e o Sudão. Mas, essas mortes são seletivas e direcionadas, é como se fosse diferente ser brasileiro e viver no Complexo do Alemão ou no Bairro do Leblon; ou melhor, é como se as vidas negras e periféricas valessem menos.

Foto: Arquivo Pessoal - Reprodução

O CEERT se solidariza com a família da pequena Ágatha neste momento de dor e se soma às organizações da sociedade civil que estão cobrando por justiça, frente a mais um crime bárbaro como este. Precisamos de uma política de Segurança Pública que ao invés de fomentar ainda mais mortes, especialmente contra corpos negros, se baseie em uma perspectiva de segurança que se coloque em função da preservação e da valorização da vida de todas e todos.

Foto: Arquivo Pessoal - Reprodução

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: