Conheça o afoxé, símbolo da cultura africana

Autor: Redação (Doutissima) Data da postagem: 14:00 03/02/2016 Visualizacões: 3681
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
foxé é de origem africana e tem destaque no Carnaval Nordestino. Foto: Paulo Pinto.

Você já ouviu falar do afoxé? Bastante presente no carnaval nordestino, a expressão tem origem africana e é um dos principais símbolos da sua cultura. Ela pode ser traduzida como a fala que faz e é expressada em manifestações ligadas à religião, música e comportamento.

De acordo com os registros históricos, o afoxé Embaixada da África foi a primeira manifestação negra a desfilar pelas ruas da Bahia, em 1885. Acredita-se que seja uma forma de arte originária das mesmas raízes de outro símbolo cultural africano, o maracatu.

Representação do afoxé

Para representar o afoxé, é necessário a presença de três instrumentos: agbê, os atabaques e o agogô. Confira o que é cada um deles e qual sua importância na manifestação cultural de origem africana:

Agbê
Também conhecido ainda como xequerê, é muito usado nas manifestações. Funcionando como chocalho, eles são produzidos com uma cabaça coberta por um trançado de pedras feitas de argila ou miçanga, permitindo que ele tenha um som único.

Atabaque
É um instrumento de percussão bastante usado no carnaval. Para os leigos, ele tem aspecto semelhante a um tambor. Nas manifestações de afoxé, são necessários três tipos de atabaques de tamanhos diferentes. O conjunto traduz o som do ijexá (escravos trazidos para o Brasil), tocado atualmente nas avenidas.

Agogô
O agogô costuma ser encarado como o instrumento mais importante nas manifestações de afoxé, pois é quem dita o ritmo dos demais. Ele é formado por duas campânulas de metal – parecidas com cornetas ligadas entre si – com sonoridades e tamanhos diferentes.

Afoxé na avenida

Além dos instrumentos típicos, no carnaval o afoxé tem comportamentos e características que o destacam frente a outras manifestações. Todos os foliões estão vinculados a um ou mais terreiros de candomblé. Suas roupas são escolhidas nas cores dos orixás e suas cantigas são entoadas na língua iorubá (idioma africano secular), que reforço os laços históricos.

Suas melodias e danças são praticamente as mesmas das interpretadas nos terreiros. Os cantos são puxados em solo, por alguém de destaque no grupo, e são repetidos por todos, inclusive os instrumentistas. Antes da saída do grupo, ocorre o ritual religioso.

Mais do que um bloco carnavalesco de rua, o afoxé é uma manifestação que tem profunda vinculação com as tradições religiosas do candomblé. Ele permite a perpetuação de uma cultura rica, que está na origem do desenvolvimento do país, embora nem sempre seja valorizada.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: