EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Escolas de samba levam para avenida enredos sobre a preservação ambiental

Autor: Redação EBC Rádioagência Nacional Data da postagem: 12:00 01/03/2017 Visualizacões: 394
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Escolas de samba levam para avenida enredos sobre a preservação ambiental / Foto: Portal Brasil

Nosso março mulher chega  saudando as mulheres da floresta que animam esta quarta-feira de cinzas na apuração da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

Na pessoa da guerreira Antonia Melo, coordenadora do Movimento Xingu Vivo para sempre, queremos saudar as “Tuíras” que vieram  do Xingu para Sapucaí para desfilar na Imperatriz Leopoldinense o enredo O Clamor Que Vem da Floresta.

Além das naturais dificuldades logísticas, essas bravas enfrentaram também a polêmica de que o enredo estaria se colocando contra o agronegócio! Mas quem assistiu ao desfile da Imperatriz no último domingo pôde se convencer dos reais motivos da escola de Ramos, subúrbio carioca onde nasci.

A exemplo da maioria das escolas que desfilaram esse ano, prevaleceu o alerta sobre a dramaticidade do momento ambiental que vive o Planeta Terra, particularmente, o Planeta Amazônia, por causa da ação humana que, melhor dizendo, é desumana !

Senão vejamos, a Imperatriz fez do seu Clamor, encarnado na figura do Cacique Raoni, um grito contra a construção de hidrelétricas como a de Belo Monte, na bacia do Rio Xingu;

A Portela, literalmente passou como um rio em nossas vidas trocando o azul da água pelo marrom para recordar a morte do Rio Doce em novembro de 2015, lá em Mariana, Minas Gerais.

Já a Acadêmicos do Grande Rio também cantou os rios de Ivete Sangalo; Não faltou também a personagem de José de Alencar: Iracema , a virgem dos lábios de mel cantando as praias e maravilhas do nordeste brasileiro;

E ainda tivemos a chance de conhecer um Paraíso chamado Carnavaleidoscópio tropifágico da escola do Tuiuti. Muito embora tenha vivido o inferno de um dos acidentes que marcaram os desfiles da Marquês de Sapucaí este ano! Quesito segurança: zero

Nossa solidariedade às pessoas que ainda permanecem internadas por causa do acidente com o carro da Paraíso do Tuiuti e também com o alegórico da Unidos da Tijuca! Lamentável ! Triste fim para uma festa que é sinônimo de Alegria!

Alegria igual a que ontem levou ao delírio a Tatuapé de São Paulo que sagrou-se campeã com um enredo que cantou "Mãe-África conta a sua história: Terra Abençoada do Grande Zimbawe!'

Vamos esperar que o Clamor que vem da Floresta tenha a mesma sorte. Pra isso contamos com a torcida da amiga Cristina que tem floresta no nome e que de olho no Rio Acre que vive uma cheia histórica, espera ainda hoje cantar vitória junto ao povo que vive na mata! Povo do Xingu!
Diga lá, querida!

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: