Manifestantes fazem ato em SP contra morte de músico baleado pelo Exército no Rio: '80 tiros em uma família negra'

Autor: Redação G1 SP Data da postagem: 13:00 15/04/2019 Visualizacões: 719
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Reprodução - Mídia Ninja

Faixa com a frase: 'parem de atirar em nós' marcou ato em frente ao Masp, na Paulista. Músico negro foi morto após o Exército disparar 80 vezes contra o carro em que estava com sua família.

Manifestantes vinculados a movimentos negros fizeram um protesto neste domingo (14) na Avenida Paulista contra a morte do músico Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, no último domingo (7) no Rio de Janeiro. Rosa foi morto quando o carro que dirigia foi alvo de pelo menos 80 tiros de fuzil disparados por soldados do Exército.

Confira gravação AoVivo do ato 80 tiros em uma família negra! 80 tiros em nós!:

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Abraão Cruz - TV Globo

Com o nome "80 tiros em uma família negra, 80 tiros em nós!", o ato se reuniu em frente ao Museu de Arte Assis Chateaubriand (Masp).

Erika Malunguinho em protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Uma imensa faixa com a frase "Parem de atirar em nós" marcou o protesto. Manifestantes se alternaram no microfone para falar sobre a perseguição de negros na periferia.

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Entre as entidades que convocaram e apoiam o ato estão a Uneafro Brasil, Marcha das Mulheres Negras de SP e Kilombagem.

Protesto contra morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Abraão Cruz - TV Globo

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Morte

O músico morreu por volta das 14h40 de domingo, quando dirigia seu carro pela Estrada do Camboatá, em Guadalupe, Zona Norte do Rio. No veículo, estavam também a esposa, o filho, de 7 anos, e o sogro do músico, além de uma amiga da família. Os sobreviventes disseram que que estavam indo a um chá de bebê.

O Exército inicialmente tratou Rosa como assaltante. Depois, determinou a prisão em flagrante de dez dos 12 militares ouvidos, "em virtude de descumprimento de regras de engajamento". A Justiça manteve nove deles presos. Na quarta-feira (10), a Força lamentou a morte do músico e disse "jamais" admitir ou compactuar "com eventuais condutas" que conflitem com o compromisso de "absoluto respeito à dignidade humana"

Douglas Belchior em protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Protesto na Paulista contra a morte de músico pelo Exército no Rio / Foto: Mídia Ninja

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: