COMUNICADO

LEIA

ONU: Expressões de xenofobia são irresponsáveis ??e discriminatórias

Autor: Paulo Rego Data da postagem: 16:00 24/03/2020 Visualizacões: 83
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
ONU: Expressões de xenofobia são irresponsáveis ??e discriminatórias/Imagem: Reprodução - Noticias ao Minuto.

Nações Unidas alertam para fenómenos de xenofobia e discriminação a pretexto do coronavírus. Principais alvos são chineses ou outras populações asiáticas.

Uma especialista das Nações Unidas (ONU) salientou nesta segunda-feira preocupante testemunhar autoridades oficiais e Estados adoptarem adotando expressões de xenofobia relacionadas com o coronavírus. Uma retórica dessa natureza, que associa o surto a referências geográficas, é irresponsável e discriminatória.

E. Tendayi Achiume, relatora especial da ONU para formas contemporâneas de racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância relacionada, divulgou uma tomada de posição à imprensa destacando que os governos devem garantir que sua resposta à pandemia do COVID-19 não contribua para a xenofobia e discriminação racial. Assim como devem erradicar a xenofobia de todas as políticas e mensagens dos respectivos Estados.

"Esse tipo de referência calculada de um nome geográfico para o vírus está enraizado e promove o racismo e a xenofobia. Nesse caso, serve para isolar e estigmatizar indivíduos que são ou são considerados descendentes de chineses ou outros descendentes do leste asiático", destaca a relatora especial.

Ataques a certas comunidades

E. Tendayi Achiume citou a Organização Mundial da Saúde (OMS) dizendo que os nomes das doenças são importantes para as pessoas diretamente afetadas. Certos nomes de doenças provocam uma reação contra membros de comunidades religiosas ou étnicas específicas e podem ter sérias consequências para a vida e o quotidiano das pessoas.

"Essas consequências já se tornaram realidade. Nos últimos dois meses, pessoas que são conhecidas ou descendentes de chineses ou outros descendentes do leste asiático foram sujeitas a ataques racistas e xenófobos relacionados com o vírus", salientou a relatora.

Segundo E. Tendayi Achiume, esses ataques vão de insultos decom expressões de ódio à negação de serviços ou até a atos de violência.

"Crises como a pandemia de coronavírus lembram-nos que estamos todos interligados e que nosso bem-estar é interdependente", referiu a representante da ONU.

"Além disso, a retórica política e atos políticos que alimentam o medo e diminuem a igualdade entre as pessoas são contraproducentes. Para tratar e combater a disseminação do COVID-19 de maneira eficaz, as pessoas devem ter acesso a conselhos de saúde precisos e assistência médica suficiente, sem medo de discriminação", argumentou ainda.

E. Tendayi Achiume foi nomeada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU em 2017. É professora assistente de Direito na Faculdade de Direito da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: