Retrospectiva 2021: Saiba quais foram as principais conquistas dos projetos do CEERT

Autor: Bruna Ribeiro Data da postagem: 08:00 20/12/2021 Visualizacões: 270
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Retrospectiva 2021: Saiba quais foram as principais conquistas dos projetos do CEERT/Imagem: DepositPhotos

Estamos finalizando 2021, o segundo ano da pandemia do coronavírus, que evidenciou ainda mais as desigualdades em nosso país. Mas acreditamos que é possível encontrar caminhos para a equidade.

Ao longo do ano, realizamos diversos projetos e iniciativas nas áreas de Educação, Trabalho, Justiça, Juventude e Meio Ambiente. Saiba como foram nossas principais ações:

Juventude

Prosseguir

Foram abertas as inscrições para a 4a edição do Programa Prosseguir, em novembro de 2021. Serão destinadas 80 vagas para estudantes negras e negros já matriculados na modalidade presencial de cursos de graduação e residentes nas regiões metropolitanas São Paulo (SP), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ).

Além da bolsa, é oferecida uma formação extracurricular que inclui elementos variados, considerando desde aspectos socioemocionais até desenvolvimento de capacidades de liderança, preparação para o trabalho, relações raciais e aulas de inglês, além de bolsas de R$ 600,00 mensais. 

O Programa Prosseguir tem o objetivo de desenvolver futuras lideranças negras, apoiando universitários de baixa renda, por meio de estratégias de fortalecimento e permanência acadêmica, além de promover o ingresso qualificado no mundo do trabalho. 

Prosseguir Trajetórias 

Em agosto de 2021, foi lançada uma edição especial do Programa Prosseguir, chamada Prosseguir Trajetórias. De maio a dezembro, o novo projeto aconteceu paralelamente às suas atividades habituais.

A edição é voltada para pessoas que já cumpriram dois ciclos formativos do Prosseguir nas turmas regulares, atendendo à demanda da juventude negra com relação à entrada qualificada no mundo do trabalho.

A primeira turma é composta por 30 estudantes que mais se destacaram durante o programa regular, com bolsa de R$600,00 mensais, durante oito meses. Também é ofertado curso de inglês online, em parceria com a escola Education First.

Trabalho

Censo de Diversidade e Equidade

Ao longo de 2021, foram realizados censos de diversidade em empresas e instituições do setor bancário, jurídico, organizações da sociedade civil, entre outros ramos - trazendo o perfil da organização com um diagnóstico aprofundado.

O CEERT é uma organização pioneira na promoção da diversidade nas empresas  desde 2007, quando realizou uma experiência que poderia ser classificada atualmente como a primeira auditoria de equidade racial no Brasil, em um setor emblemático e complexo que é o bancário, após licitação, como consultoria técnica.

A organização vem sendo reconhecida como autoridade do tema do ESG (sigla em inglês para Meio Ambiente, Social e Governança) no território da equidade racial. 

Pesquisas sobre mercado de trabalho e inserções na mídia

Além dos censos, o CEERT publicou pesquisas setoriais e nos consolidamos como uma organização que produz e interpreta dados sobre equidade racial no trabalho. Como resultado das ações, foram mais de 30 inserções na imprensa a respeito da temática da equidade racial nas empresas, em veículos como Alma Preta, Folha de S. Paulo, Estadão, UOL, G1 e CNN.

Em maio, por exemplo, o CEERT denunciou como o apagão de dados promove desigualdade racial nos serviços públicos municipais, a partir de uma pesquisa do diretor Mário Rogério, publicada em reportagem na Folha de S. Paulo. Clique aqui para ler reportagem completa. Durante o ano, Mário também investigou como as startups fundadas por pessoas negras reconhecem e valorizam o talento de pessoas negras e impulsionam o ecossistema, apesar das barreiras. O resultado foi publicado em matéria na revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Educação

ANANSI

Em dezembro de 2021, o CEERT anunciou o ANANSI - Observatório da Equidade Racial na Educação Básica. Com previsão de lançamento para 2022, a plataforma visa contribuir no monitoramento da equidade racial na educação no Brasil, a partir da produção, troca e compartilhamento de conteúdos, além da incidência em políticas públicas. Saiba mais sobre a iniciativa em reportagem em nosso site.

Equidade Racial na Educação Básica

Em 2021, foram apresentados os resultados da primeira fase das pesquisas aplicadas inscritas no Edital Equidade Racial na Educação, com a presença de parceiros e apoiadores. Em vídeos, os educadores relataram a experiência de desenvolver pesquisas até o momento. Saiba mais sobre os resultados neste link. 

Melhoria da Educação

Em 2021, o CEERT organizou formações de professores da rede municipal de Itapevi, na Região Metropolitana de São Paulo, abordando o tema da educação para a equidade racial no escopo do Programa Melhoria da Educação, promovido pelo Itaú Social, que oferece tecnologias educacionais em percursos formativos gratuitos e a distância para profissionais das redes de ensino de todo o país, a partir do fortalecimento das secretarias municipais de educação.Descubra mais sobre o programa clicando aqui.

Seminários Internacionais

Realizado de 22 a 24 de março de 2021, o Seminário Internacional Racismo e Infância: impactos, desafios e perspectivas debateu as relações raciais na infância, com foco nas áreas de educação, direito e saúde. O evento foi online e organizado pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), em parceria com a Porticus América Latina.

Além do Seminário, foram promovidos  cursos à distância, destinados a educadores das redes públicas dos municípios, a respeito do mesmo tema. Foram inscritas 432 pessoas. O CEERT também incidiu em políticas públicas para a implementação da  Lei 10.639/2003, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), obrigando o ensino da história e cultura africana e afro-brasileira.

Ainda na mesma temática, Daniel Bento Teixeira, diretor executivo do CEERT, participou de um seminário internacional sobre Direitos da Primeira Infância e Equidade Racial, realizado pela Universidade de Harvard, em julho de 2021. 

Aplicativo com Universidade de Harvard

Durante o ano de 2021, também desenvolvemos o aplicativo ENI (Equidade na Infância). Trata-se de uma modalidade de formação que, instalado nos celulares dos profissionais de educação, oferece uma experiência online de acesso a conteúdo e conceitos sobre as relações raciais, bem como sugestões práticas para a atuação junto aos bebês e crianças no cotidiano das instituições de educação infantil. 

O aplicativo disponibiliza materiais de apoio pedagógico, como murais e cartazes; livros e recursos para contar histórias; materiais de artes; jogos e brinquedos e instrumentos musicais. 

Foi formulado no âmbito da plataforma de pesquisa e desenvolvimento do Center on the Development Child da Universidade de Harvard,  apoiada em uma iniciativa denominada Frontiers of Innovation (FOI), que visa acelerar o desenvolvimento e a adoção de inovações com base científica sobre os desafios e problemas vivenciados por crianças, famílias e seus cuidadores, oferecendo apoio para superação.

Justiça

Condenação por crime de racismo

Por compartilhar foto de um colega negro em um grupo de WhatsApp se referindo a ele como “escravo”, o estudante Gustavo Metropolo foi condenado pelos crimes de racismo e injúria racial pela 14ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, em São Paulo, em março de 2021. A acusação foi realizada pela área Jurídica do CEERT, juntamente ao Ministério Público. “São raras as condenações mantidas por crime de racismo, portanto se trata de uma importante vitória", conta o advogado Daniel Bento Teixeira, diretor executivo do CEERT.

Tem Gente com Fome

Ao longo do ano, o CEERT organizou quatro eventos de distribuição de vale alimentação e doação de cestas com alimentos orgânicos para 780 famílias moradoras da Brasilândia e Casa Verde, na zona norte de São Paulo, em parceria com organizações locais. A ação faz parte da campanha nacional Tem Gente com Fome, que visa a arrecadação de fundos emergenciais de enfrentamento à fome, à miséria e à violência na pandemia do coronavírus. A iniciativa foi organizada pela Coalizão Negra Por Direitos, da qual o CEERT faz parte.

Além de participar da campanha Tem Gente com Fome, o CEERT desenvolve o projeto Periferia sem covid: vidas negras importam!, desde o início da crise humanitária em 2020, juntamente com organizações parceiras. A ideia é combater o impacto da covid-19 sobre a população negra, contribuindo com famílias localizadas na Brasilândia, um dos bairros mais afetados pela pandemia, bem como outros bairros periféricos em seu entorno.

ReIntegrar

Em outubro de 2021, foi lançada a Chamada Pública “ReIntegrar com equidade de raça e gênero para egressos do sistema carcerário”, que tem o objetivo de mapear, catalogar e valorizar projetos e estudos que objetivem vida digna para pessoas que cumpriram pena no sistema carcerário por meio do trabalho, a partir da perspectiva de equidade racial e de gênero. A iniciativa, que conta com o investimento de R$140.0000,00 (cento e quarenta mil reais), recebeu 470 inscrições.

Em construção desde 2018, a proposta faz parte da nova área programática do CEERT denominada "ReIntegrar com Equidade Racial e de Gênero'‘, concentrando iniciativas da organização com o objetivo de enfocar o direito ao trabalho digno para quem cumpriu pena no sistema carcerário.

Na mesma área, foi lançado também o ‘Fórum ReIntegrar com equidade de raça e gênero’ com a participação de representantes de mais de 40 entidades. O Fórum busca mobilizar organizações da sociedade civil, empresas, setor público, acadêmicos e especialistas com expertise na temática para debater o tema e pensar medidas concretas que possam gerar sistematicamente oportunidades de trabalho para pessoas que cumpriram pena no sistema carcerário.

Meio Ambiente

Em 2021, o CEERT se aprofundou em suas pesquisas a respeito do racismo ambiental e mobilidade urbana. Confira as iniciativas:

Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 (COP26)

Durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 (COP26), realizada entre 1º e 12 de novembro em Glasgow, na Escócia, a comitiva brasileira organizada pela Coalizão Negra por Direitos, da qual o CEERT faz parte, mobilizou reflexões a respeito dos desafios socioambientais enfrentados pela população negra no Brasil. 

Além do evento, a Coalizão realizou mobilizações na cidade de Glasgow e também nas redes sociais. O grupo falou sobre a ameaça aos espaços e territórios de povos tradicionais, como os quilombolas, além de denunciar as desigualdades ocasionadas pelo avanço das mudanças climáticas no Brasil e no mundo.

Foi também organizado o evento “Terra, territórios e o enfrentamento ao racismo nas lutas contra a crise climática: o Movimento Negro Brasileiro na COP 26”, apontando os principais desafios e caminhos percorridos por povos tradicionais no país em decorrência das consequências climáticas e ambientais. 

Incorporação da perspectiva de gênero e raça em todas as etapas de sistema de transporte da Região Metropolitana de São Paulo

Em 2021 o CEERT concluiu mais uma etapa do projeto “Incorporação da perspectiva de gênero e raça em todas as etapas de sistema de transporte da Região Metropolitana de São Paulo”, iniciado no ano passado, em parceria com o ITDP Brasil (Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento).

A iniciativa teve como objetivo contribuir para a conscientização, capacitação e aprimoramento do setor de transporte da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), de modo a contribuir para a redução das desigualdades de gênero e raça na área corporativa de transportes e no setor da mobilidade urbana. 

Debates internacionais

No último ano, a organização também participou de diversos debates internacionais a respeito das mudanças climáticas. No dia 19 de junho, organizou a 6a Conferência Pan-africana de Lideranças Jovens, com o tema “Mulheres, Juventude e Mudanças Climáticas”, em parceria com a organização não-governamental African Renaissance Diaspora Network (ARDN), a República da Costa Rica, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Mulheres, Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (UNDP) e o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN Habitat).

Participaram mais de 100 jovens lideranças de diversos países da África e da diáspora africana para tratar dos problemas envolvendo a crise climática. Além disso, teve como foco os seguintes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas: igualdade de gênero, mudanças climáticas e parcerias.

No dia 22 de setembro, no mesmo período em que acontecia a Assembleia Geral da ONU, Daniel Bento Teixeira, diretor-executivo do CEERT, ministrou a palestra “Desafios das Mudanças Climáticas e seus impactos no empoderamento das Mulheres, Saúde e Negócios no evento internacional African Open For Business (África Aberta para Negócios, em tradução livre), que teve apoio institucional de agências da ONU, como a ONU Mulheres, e contou com a participação da ex- ministra de Mulheres, Juventude e Infância da Etiópia, Filsan Abdullahi Ahmed; parlamentares do Reino Unido e da Jamaica e de Samuel Onyemelukwe, diretor-executivo da Trace TV, canal de televisão nigeriano, dentre outras lideranças.

 

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: