EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Mais de 60 universitários negros participam da fase de entrevistas na etapa de São Paulo para segunda edição do Programa Prosseguir

Autor: Bruna Ribeiro Data da postagem: 16:39 14/02/2020 Visualizacões: 502
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Foto com os estudantes de São Paulo que participaram da 1ª Edição do Programa Prosseguir / Foto: Fabielle Ferreira - CEERT

Serão selecionados 50 candidatos para programa que inclui bolsa de estudos e atividades extracurriculares de fortalecimento de capacidades de liderança, nas regiões metropolitanas de São Paulo e Salvador

O ingresso na Universidade é um desafio para muitos jovens brasileiros. Segundo a Pnad Contínua, apenas 23,2% das pessoas de 18 a 24 anos frequentavam o curso superior em 2017. Além do acesso, a permanência se torna mais difícil para negros, em função de cortes de recurso recentes em programas de ações afirmativas.

Pensando nisso, o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert) inicia a segunda edição do Programa Prosseguir. Mais de 1 mil pessoas concorreram a vagas que oferecerão a bolsa mensal de R$ 600,00 e um curso de 20 horas mensais, de março a dezembro de 2020.

Entre todos os inscritos, 62 candidatos de 20 a 30 anos foram entrevistados na semana passada, na sede da organização, em Santana, na zona norte da cidade. Na próxima semana, serão entrevistados os candidatos da região metropolitana de Salvador.

Como funciona

O Programa Prosseguir tem como finalidade desenvolver futuras lideranças negras que estão nas universidades públicas e privadas, por meio de estratégias de fortalecimento e permanência acadêmica, além de promover o ingresso qualificado no mundo do trabalho.

Na segunda edição, o programa visa criar uma rede que propicie condições de transformar não apenas a vida dos participantes, mas sinalizar para a sociedade a importância de políticas institucionais de equidade racial e diversidade, como as ações afirmativas no ensino superior. 

Em São Paulo, a formação será realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é sistematizada em três frentes: aulas, palestras e oficinas.  Também são oferecidas aulas de inglês, com apoio da escola English First. 

Seis integrantes do Ceert viajarão a Salvador (BA) na próxima semana, para a realização do processo seletivo da etapa local, em parceria com a Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Sensibilização para a causa

De acordo com Luanda Mayra, uma das responsáveis pelo processo seletivo, o programa visa oferecer sensibilização para a causa da temática racial. 

“O aluno sai daqui defendendo as ações afirmativas e entendendo por que estamos apostando neles como futuras lideranças nas mais diversas áreas, como direito, administração de empresas, medicina, ciências sociais, literatura, etc.”.

Ainda segundo Luanda, apesar das ótimas notas, muitas vezes os alunos negros se sentem intimidados com códigos institucionais e nas relações profissionais, enfrentando dificuldades como falar em público e fortalecimento da autoestima. “Por isso pensamos em aulas de oratória e educação financeira, além de acolhimento psicológico e incentivo ao desenvolvimento de projetos de vida”, explicou.

Yamara Garcia também foi uma das entrevistadoras do processo seletivo e conta que se emocionou com diversas histórias. “Ouvi o relato de um estudante que passou na Universidade de São Paulo (USP), mas não tem dinheiro para pagar a passagem”, contou. 

“É essencial criarmos uma rede de acolhimento para esses universitários, porque muitas vezes eles são os únicos pretos da sala de aula. Não há mais ninguém como eles. Aqui eles se sentem em um ambiente acolhedor e seguro, onde conseguem compartilhar o cotidiano. Tanto que durante o processo seletivo, eles se apoiam e mantém contato para futuras oportunidades. Um torce pelo outro. A luta é do coletivo”, completou.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: