Conheça a história de três jovens selecionados para o Prosseguir 2022!

Autor: Bruna Ribeiro Data da postagem: 10:07 19/04/2022 Visualizacões: 604
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Novos sonhos: Conheça a história de três jovens selecionados para o Prosseguir 2022!/Imagem: CEERT

“Mesmo que não possamos adivinhar o tempo que virá,

temos ao menos o direito de imaginar o que queremos que seja.

As Nações Unidas têm proclamado extensas listas de Direitos Humanos, 

mas a imensa maioria da humanidade não tem mais que os direitos de: ver, ouvir, calar.

Que tal começarmos a exercer o jamais proclamado direito de sonhar?

Que tal se delirarmos por um momentinho?

Ao fim do milênio vamos fixar os olhos mais para lá da infâmia para adivinhar outro mundo

possível”

Direito de Sonhar, Eduardo Galeano

Foram 1454 inscrições para a quarta edição do Programa Prosseguir. Foram selecionados 80 estudantes universitários das regiões metropolitanas de São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro. Eles passaram por rigoroso processo de seleção com formulário de inscrição, envio de vídeos e entrevistas, até chegarem ao primeiro encontro online, realizado no dia 12 de março.

Entre as motivações para participarem do programa, muitos sonhos! Sonhos e possibilidades reais para a vida acadêmica, profissional e pessoal da juventude negra. Para representar este novo grupo, conversamos com três estudantes - um de cada região contemplada.

Eles nos contaram sobre a trajetória deles até aqui e as expectativas para o Prosseguir 2022. Conheça um pouco sobre Schaira Vitoria dos Santos (Salvador), Geisson da Silva (São Paulo) e Camille Vieira Ribeiro de Oliveira (Rio de Janeiro):

Schaira Vitoria dos Santos, 19 anos 

Estudante de Ciência e Tecnologia, na Universidade Federal da Bahia (UFBA) 

Schaira Vitoria dos Santos, 19 anos 

“A minha avó sempre fala que o conhecimento é algo que ninguém te tira. Ele fica para sempre com você. Portanto, seguindo esse pensamento rico, minha motivação maior para estar nesse programa e nesse espaço foi o conhecimento que ele pode me dar. No meu contexto, o auxílio que o programa oferece é muito importante, como um todo. Estar inserida nele é um privilégio.

Eu sinto que o Prosseguir vai ser um divisor de águas na minha jornada como mulher negra, estudante e profissional. Eu sou uma paulista que, com coragem e ajuda da minha avó, migrou para Salvador para correr atrás dos meus sonhos por meio do estudo. Entrar na faculdade já é uma jornada difícil e de batalhas diárias, ainda mais para uma estudante que veio da rede pública brasileira.

A permanência nesse espaço estudantil, sem sombras de dúvidas, é três vezes mais difícil. Eu diria que as minhas principais dificuldades são a permanência e o mantimento em uma cidade que não conheço. As minhas expectativas para o Prosseguir são de muito aprendizado, força e de troca com todes alunes negres que estão compartilhando essa experiência comigo. A troca por si só já é muito transformadora.

Os cursos oferecidos pelo projeto serão uma grande oportunidade para me edificar ainda mais para o mercado de trabalho e os futuros espaços onde quero estar. Mas a transformação maior, com toda certeza, vai ser de aprendizado, ainda mais, do meu corpo, enquanto mulher negra, inserida nessa sociedade racista, machista e desigual.

A tecnologia é o futuro do mundo e eu estarei inserida nesse futuro, não tão distante, porque já estamos vivendo ele no agora. Com isso, meu sonho é poder ajudar jovens negres pela Ciência e Tecnologia. Ainda nesse contexto, quero ser uma atuante do Movimento Negro nos espaços em que estiver inserida, para que a concientização e o saber possam chegar a todes, de forma fluida e com força, sobre essa pauta muito importante.”

Geisson da Silva, 34 anos

Estudante do  8º semestre no curso de Direito, na faculdade FMU, em São Paulo.

Geisson da Silva, 34 anos

“Minha motivação para participar do Prosseguir foi a possibilidade de novas conexões com outros universitários pretos, por compreender que essas conexões podem me fortalecer na minha trajetória de vida pessoal e acadêmica. Me motivei também pela possibilidade de participar de encontros e/ou formações que possam ampliar meu repertório pessoal e profissional, além da ajuda de custo para a compra de livros e materiais.

Minha principal dificuldade em me manter na faculdade está relacionada ao fato de não me sentir merecedor de ocupar o espaço acadêmico. Essa ideia era fortalecida por atitudes de alguns colegas específicos de sala e demais estudantes da própria faculdade, além de me desdobrar em longas jornadas de trabalho para conseguir me manter.

Minha expectativa é conhecer estratégias de fortalecimento como um estudante preto. Penso que conhecer e me apropriar de certas estratégias poderá ressignificar algumas vivências que tive ao longo de minha trajetória.

Meu sonho é conseguir ser bacharel em Direito e passar nas duas fases do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Acredito que a realização deste sonho me levará a tantos outros sonhos e realizações pessoais e profissionais.”

Camille Vieira Ribeiro de Oliveira, 23 anos

Estudante do sexto período de Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Camille Vieira Ribeiro de Oliveira, 23 anos

“A minha maior motivação ao me inscrever no programa foram os relatos inspiradores dados pelos outros participantes do Programa Prosseguir. Tive a oportunidade de ver algumas lives. Ouvi muitos discursos sobre crescimento pessoal e acadêmico, sonhos realizados e horizontes abertos! Acreditei que essa poderia ser uma porta de crescimento para mim e decidi me inscrever.

A principal dificuldade em me manter na faculdade no momento pode ser considerada a mobilidade urbana. Além das péssimas condições para a locomoção até a faculdade, passar horas e horas dentro do transporte público diminui drasticamente a qualidade de vida e o rendimento acadêmico que se espera de nós, alunos.

Muitas das minhas expectativas para o programa são em relação à oportunidade de conhecer pessoas completamente diferentes. É realmente muito enriquecedor. Pessoas que estão fora do meu nicho, com realidades também desafiadoras e que apresentam falas muito potentes. Eu me inspiro muito em pessoas que querem crescer, que se expõem, que saem da casca e que se desafiam. O crescimento é necessário, e com ele, vem a dor de amadurecer e de se transformar.

Esse processo de amadurecimento e transformação acontece a partir do momento em que eu traço metas a serem alcançadas. Essas metas me fazem caminhar rumo aos meus objetivos. Elas me trazem novas experiências e me provocam transformações. Eu sonho com o mundo. Sonho com oportunidades de conhecê-lo e ajudá-lo. De viver nele, ainda mais livre.”

Sobre o Programa Prosseguir

O Prosseguir tem como objetivo evidenciar e desenvolver futuras lideranças negras, apoiando universitárias/os negras/os de baixa renda, por meio de estratégias de fortalecimento e permanência acadêmica, além de estabelecer diálogos e pontes com o mercado de trabalho.

A ideia surgiu alguns anos antes da efetivação do Programa no final de 2018, no CEERT, a partir de conversas e reflexões a respeito da juventude negra, vida, universidade e trabalho. A partir do lema “se ver possível”, ações, parcerias e temas foram identificados como ferramentas necessárias para a construção desta intervenção político-pedagógica.

Os selecionados recebem uma bolsa de R$ 700 reais por mês, além de uma formação extracurricular que inclui elementos variados, considerando desde aspectos socioemocionais até desenvolvimento de capacidades de liderança, preparação para o trabalho, relações raciais e aulas de inglês. 

 

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: