RACISMO NO FUTEBOL ITALIANO ATACA NOVAMENTE

Autor: Jefferson Gonçalves Data da postagem: 14:00 10/12/2016 Visualizacões: 3739
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Crédito: Reprodução/Facebook

Pelo jeito, ainda há uma longa estrada para abolir o racismo no futebol. O caso mais recente aconteceu na Itália, onde o meia bósnio Senad Lulic, da Lazio, atacou o alemão de origem serra-leonesa Antonio Rüdiger, do Roma. Fazendo referência ao “trabalho para negro”, Lulic fez declaração ao Mediaset (canal de notícias italiano), numa entrevista logo após a seu time perder por 2 a 0 no clássico da capital italiana no domingo, 04 de novembro.

“Rüdiger já falava muito antes do jogo. Há dois anos, ele vendia meias e cintos em Stuttgart. Agora, já está achando que é um fenômeno”, disparou o meia.

As palavras de Lulic foram interpretadas como mais um caso de racismo no futebol e fizeram muitas pessoas se revoltarem nas redes sociais.

O bósnio não gostou da repercussão ao ter conhecimento da indignação dos internautas, quando foi perguntado poucos minutos depois sobre a repercussão na zona mista o que achava das acusações. “Não quero mais falar sobre isso. Às vezes falamos coisas que não deveríamos no calor do mundo. Vou ter que pedir desculpas a Rüdiger? Como assim? Brancos também vendem meias” contra-atacou.

Com a propagação nas redes sobre a atitude do bósnio, o diretor de comunicação da Lazio, Arturo Diaconale, pediu desculpas da parte do clube depois da entrevista coletiva dos técnicos e garantiu que não se tratava de um caso de racismo no futebol e sim de um momento de emoção do atleta que acabou falando sem pensar. “Quero pedir desculpas em nome do clube e de Lulic. Foram palavras pronunciadas no calor do momento por um jogador que acabava de perder um clássico que era muito importante para ele. Essa polêmica ultrapassa os limites e foi causada por declarações anteriores de Rüdiger, mas queremos que a Lazio seja um modelo de correção” argumentou.

Rüdiger já foi alvo anteriormente causando polêmica idêntica no ano passado. O caso de além de confirmado como racismo, resultou na demissão do ex-jogador Stefano Eranio do posto de comentarista da televisão suíça “RSI” apos declarar que “jogadores de cor que jogam na defesa cometem esse tipo de erro porque não estão concentrados. São fortes fisicamente, mas cometem erros na hora de pensar antes de jogar”.

 

 

Leia também: 

Racismo no futebol: Brasil debate penas, Itália indica caminho contrário

De forma diferente, racismo no futebol ainda sobrevive ao tempo

 

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: