EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

O EMPODERAMENTO FEMININO

Autor: Redação - Brazilian Beauty Site Data da postagem: 21:00 09/04/2016 Visualizacões: 4781
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:

O termo Empoderamento muitas vezes é mal interpretado. Por vezes ele é entendido como algo individual ou a tomada de poder para se perpetuar as opressões.

Para o feminismo negro, Empoderamento possui um significado coletivo, trata-se de empoderar a si e aos outros e colocar as mulheres negras como sujeitos ativos de mudança. Empoderamento diz respeito a mudanças sociais numa perspectiva antirracista, anti elitista e sexista através das mudanças das instituições sociais e consciências individuais.

Logo, Empoderamento sob essa perspectiva significa o comprometimento com a luta pela equidade. Não é a causa de uma pessoa de forma isolada, mas como essa pessoa faz para promover o fortalecimento de outras mulheres com o objetivo de promover uma sociedade mais justa para as mulheres. Significa ter consciência dos problemas que nos aflige e criar mecanismos de combatê-lo. Quando uma mulher empoderar a si tem condições de empoderar a outras.

Eu como mulher emponderada tenho uma luta interna comigo mesma todos os dias, para influenciar outras como “eu”, importância de aceitar sua beleza interna e externa, descobrir o papel de ser negra em sociedade, que viver sobre padrões distorcidos ou empregados por mídias, que sempre buscavam influenciar em fazer acreditar que somos algo, que não condiz com nossa cor, pele ou regionalidade. Sou negra formadora de opinião, não posso falar ou ensinar, sem pensar como isso será visto pela grande massa.

“As identidades de grupo são um aspecto inevitável da vida social e da vida política e as duas são interconectadas porque as diferenças de grupo se tornam visíveis, salientes e problemáticas em contextos políticos específicos. É nesses momentos – quando exclusões são legitimadas por diferenças de grupo, quando hierarquias econômicas e sociais favorecem certos grupos em detrimento de outros, quando um conjunto de características biológicas ou religiosas ou étnicas ou culturais é valorizado em relação a outros – que a tensão entre indivíduos emerge. Indivíduos para os quais as identidades de grupo eram simplesmente dimensões de uma individualidade multifacetada descobrem-se totalmente determinados por um único elemento: a identidade religiosa, étnica, racial ou de gênero.” (Joan Scott – Historiadora/O Enigma da Igualdade).

Cada mulher em seu espaço de atuação pode criar formas de empoderar outras mulheres. Se for empregadora, pode criar um ambiente de trabalho onde exista o respeito e que possa atender a demanda de mulheres, principalmente daquelas que são mães, certificar-se que não há desigualdade salarial e assédio. Se for professora, estiver atenta aos xingamentos machistas muitas vezes naturalizados como brincadeiras ou chacotas. Tentar promover discussões em salas de aula que tragam a reflexão sobre a situação das mulheres. Criar um grupo na comunidade ou associação do bairro para discutir estratégias de apoio a outras mulheres ou o enfrentamento à violência que essas mulheres possam vir a sofrer. Não ser neutras quando homem ameaça uma mulher, ela poderá mais a frente uma estatísticas numéricas de mortes feminicídeos no futuro, se anular mesmo que colocar uma arma na sua cabeça, nada impedir isso chegar a sua porta.

Significa uma ação coletiva desenvolvida pelos indivíduos quando participam de espaços privilegiados de decisões, de consciência social dos direitos sociais. Essa consciência ultrapassa a tomada de iniciativa individual de conhecimento e superação de uma realidade em que se encontra. É uma nova concepção de poder que sai a resultados democráticos e coletivos. É promover uma mudança numa sociedade dominada pelos homens e fornecer outras possibilidades de existência e comunidade. É enfrentar a naturalização das relações de poder desiguais entre homens e mulheres e lutar por um olhar que vise à igualdade e o confronto com os privilégios que essas relações destinam aos homens. A busca pelos direitos das mulheres à autonomia por suas escolhas, por seu corpo e sexualidade.


Publicado por Brazilian Beauty Site - Sou uma amante da beleza, cultura negra e aos poucos cuidando melhor de minha pele. Formada em Marketing na Unijorge e cabeleireira em formação na Embelleze. Com tempo irão conhecer uma mulher super alto astral, que fala pelos cotovelos e muito curiosa para ter o conhecimento necessário para meus seguidores.


Curta a nóticia:
Curta o CEERT: