Rede de médicos e médicas lança nota de apoio à médica que recebeu ataque racista

Autor: Redação Brasil de Fato Data da postagem: 16:30 05/08/2016 Visualizacões: 4102
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
A médica foi ataca por defender que pacientes possuem sua própria forma de falar / Reprodução/Facebook

Júlia Rocha postou em seu Facebook críticas à foto de um médico que dizia que “não existe ‘peleumonia’

A Rede Nacional de Médicos e Médicas Populares lançou uma nota em apoio à médica de família e comunidade, Júlia Rocha, que publicou uma crítica a uma foto de um médico que satirizava erros de português de pacientes. Júlia foi alvo de ameaças e retaliações em seu perfil do Facebook.

Na postagem, a médica dizia que “Existe 'peleumonia'. Eu mesma já vi várias. Incrusive com febre interna que o termômetro não mostra”. A mensagem era uma crítica à postagem de outro profissional, Guilherme Capel, que postou uma foto com os dizeres “não existe peleumonia e nem raôxis”, satirizando pacientes que não sabem escrever ou falar na forma erudita.

 

A postagem foi apagada após um ataque de denúncias contra a públicação

Na nota, a Rede de Médicos e Médicas Populares lembra a importância de uma medicina focada na pessoa e que reconhece “e respeita o que o indivíduo sente e sua forma de expressar o que é o adoecer”.

A nota destaca os ataques racistas sofridos pela médica, que falavam desde seu cabelo e cor de pele até a sua orientação política.

“A medicina, não pode ser uma correia de transmissão do pensamento elitizado e preconceituoso contra os mais desfavorecidos e oprimidos da sociedade brasileira”, completa a nota.

Laia a nota completa da Rede aqui

Leia também:

‘O racismo deixa marcas na alma’

Jovem negro denuncia racismo da polícia em ensaio fotográfico

Dourada: Inspirado em Ndandalunda, ensaio celebra a beleza da mulher negra

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: