EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Jovem sofre racismo em seu trabalho e internautas mostram apoio

Autor: Redação Catraca Livre Data da postagem: 13:00 12/10/2016 Visualizacões: 2173
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Josie publicou uma mensagem de agradecimento ao apoio em suas redes sociais / Foto: Reprodução - Facebook - Catraca Livre

Uma funcionária de uma cafeteria foi vítima de racismo durante seu trabalho e recebeu diversas mensagens de apoio nas redes sociais. Josie Ajak estava atrás do caixa do Gloria Jean's Coffee em Cairns, na Austrália, quando uma senhora se recusou a ser atendida por ela.

A jovem, que se mudou do Sudão para a Austrália com oito anos de idade, cumprimentou a cliente assim que ela se aproximou e, então, se surpreendeu com a resposta.

Em entrevista à ABC, Josie explicou que a mulher olhou para ela e disse: "Eu me recuso a ser servida por uma pessoa negra, você pode chamar uma branca?". A funcionária pediu para a senhora se afastar antes de informar sua colega de trabalho sobre o ocorrido e que ela não iria ser atendida. A cliente esperou por cinco minutos e foi embora da loja.

Depois do episódio, Jade Arevalo, amiga de Josie, compartilhou um relato em suas redes sociais e iniciou a campanha de apoio #buyacoffeefromjosie (#compreumcafédajosie, em inglês). A publicação recebeu mais de 13 mil curtidas e repercutiu, inclusive, na página da cafeteria Gloria Jean's Coffees Cairns Central e em suas lojas.

josie

Foto: Reprodução/Facebook

Uma das lojas da cafeteria participando da campanha

"Josie é uma das pessoas mais gentis e amigáveis que você poderia conhecer, mas independente de sua personalidade, ela não merecia ser excluída dessa maneira. O que deixa tudo pior é que a mulher nojenta que pediu para ser atendida por outra funcionária se locomove em uma cadeira de rodas e possivelmente deve entender as dificuldades de uma vida em que os outros esperam menos dela.", escreveu Jade.

Diante da viralização do caso, a vítima de racismo se manifestou em suas redes sociais. "Para aqueles que já tiveram seu serviço recusado por causa da cor de sua pele, isso é para vocês. Não há absolutamente nenhum espaço para racismo em lugar algum do mundo."

Leia também:

Discriminação ainda atrapalha empreendedor negro, diz BID

Mãe desabafa sobre racismo sofrido por filha: 'Corta a minha alma'

Dia das Crianças: Taís Araújo relembra bullying na infância

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: