Chamada Pública: ReIntegrar com equidade de raça e gênero para egressos do sistema carcerário ACESSAR

“Mulheres devem ganhar menos porque são mais fracas, menores e menos inteligentes”, declara deputado polonês no Parlamento Europeu

Autor: Redação Revista Fórum Data da postagem: 17:30 03/03/2017 Visualizacões: 886
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
“Mulheres devem ganhar menos porque são mais fracas, menores e menos inteligentes”, declara deputado polonês no Parlamento Europeu / Foto: Revista Fórum

A eurodeputada socialista espanhola Iratxe García retrucou imediatamente: “Segundo as suas teorias, eu não deveria ter o direito de estar aqui como deputada. Sei que o magoa e o preocupa que hoje as mulheres possam representar os cidadãos em igualdade de condições com você. Estou aqui para defender as mulheres europeias de homens como você.”

Em um debate sobre a diferença salarial entre homens e mulheres na Europa, o político ultraconservador polonês Janusz Korwin-Mikke, de 74 anos, afirmou que “as mulheres devem ganhar menos porque são mais fracas, menores e menos inteligentes”. “Elas devem ganhar menos. Isso é tudo”, concluiu.

A eurodeputada socialista espanhola Iratxe García não deixou o ataque barato e retrucou em seguida: “Segundo as suas teorias, eu não deveria ter o direito de estar aqui como deputada. Sei que o magoa e o preocupa que hoje as mulheres possam representar os cidadãos em igualdade de condições com você. Estou aqui para defender as mulheres europeias de homens como você.” Veja o vídeo com legendas em inglês abaixo.


García disse que pediria sanções contra o polonês. O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, abriu uma investigação do caso. Caso se considere que Korwin-Mikke infringiu as regras da Casa, ele pode ser punido com uma reprimenda, uma multa ou até um período de suspensão.

O comentário de Korwin-Mikke nesta quarta-feira (1º) não foi um caso isolado. Ele já foi punido em 2012, por causa de comentários contra negros, e em 2015 por fazer uma saudação nazista no plenário do Europarlamento, o que lhe custou uma suspensão de salário de 10 dias e uma multa de 3.000 euros.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: