EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

MANIFESTO ILE PARA UMA COMUNICAÇÃO RADICALMENTE INCLUSIVA

Autor: Ssexbbox Data da postagem: 14:00 26/03/2017 Visualizacões: 1244
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Fonte: Ssexbbox

Muito tem se discutido sobre a necessidade de um pronome em português que nao tenha gênero.

Ou melhor, que seja bom pros dois gêneros.

Ou melhor, que seja sem gênero, pra não ter que separar as pessoas por essa classificação.

Nossa língua não previu a mudança de paradigma que está acontecendo no nosso tempo.

Nossa língua não é flexivel o suficiente pra designar alguem que nao se sente nem homem, nem mulher.

Ou melhor, pra designar alguém que se sente ora um, ora outra.

Ou melhor, pra designar quem não se conforma com as normas de gênero.

Ou melhor, pra falar de quem vive seu gênero de uma forma que é fora da caixa.

A discussão de gênero e de sexualidade causa muito desconforto em vários círculos.

Há quem não se sinta representado pelas formas normalizantes de expressão: ele ou ela (como se so houvesse 2 possibilidades).

Há quem fique desconfortável por perceber que tem gente querendo ser algo que não estava previsto na ‘norma’.

Essa divisão em 2, esse binarismo, deixa de fora uma enorme variedade de possibilidades, que não são nem uma coisa, nem outra.

E quem está nesse grupo, do nem uma coisa nem outra, continua sendo gente, continua tendo direito de ser como é.

Essa nova palavra, o ‘ile’, é uma tentativa de questionar a ‘norma’, a hetero-norma, aquele conceito que diz que ‘o certo é homem macho e mulher fêmea’.

Pode parecer estranho, já que o resto das palavras na língua portuguesa são femininas ou masculinas.

Fazer a concordância com ile pode ser difícil.

Ile é diretor ou diretora?
Ile é branco ou branca?

Não sei

Cabe a cada ile nos dizer como se sente, como se reconhece.

O próprio estranhamento que esta palavra causa nos ouvidos das pessoas já é parte da mudança.

Nos força a ter que lidar, lembrar e reconhecer que nossos padrões não são estáticos.

Que a vida não é estática, assim como nossa língua, que aceita os neologismos para poder retratar novas realidades.

Ile é um convite. Convida a diferença a coabitar. Convida nossa consciência a se expandir. Convida a suspender o pré-conceito.
Aceita o convite?

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: