EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Sexualidade e gênero são temas de exposições no Masp

Autor: Xandra Stefanel Data da postagem: 11:00 07/08/2017 Visualizacões: 598
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Foto da exposição 'Nada Levarei Qundo Morrer", de Miguel Rio Branco / Foto: Miguel Rio Branco - Divulgação - Rede Brasil Atual

"Nada Levarei Quando Morrer", de Miguel Rio Branco, traz fotografias feitas em área de prostituição no Pelourinho. Série dialoga com mostra de Toulouse-Lautrec

O que obras do pintor francês Henri Toulouse-Lautrec têm a ver com fotografias feitas no Pelourinho? Bordéis e ambiente de prostituição abarcam os temas sexualidade e gênero, que compõem duas exposições em cartaz até 1° de outubro no Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Nada Levarei Qundo Morrer apresenta 61 fotografias da série Maciel, produzida em 1979 por Miguel Rio Branco na zona de prostituição de mesmo nome, no Pelourinho, em Salvador. O nome da mostra faz alusão à frase que Miguel captou em uma parede no interior de uma casa naquele bairro: “Nada levarei qundo (sic) morrer aqueles que mim deve (sic) cobrarei no inferno”. O fotógrafofrequentou a região durante meses e estabeleceu um vínculo de afinidade com seus retratados, assim como fez Toulouse-Lautrec nos bordéis parisienses no final do século 19.

A exposição de fotografia preenche quatro paredes do museu e cada uma delas enfatiza determinados aspectos da obra de Rio Branco. A primeira, com a frase-título da mostra, traz diversas cenas de rua em que o estado de deterioração dos edifícios dialoga com o uso que os habitantes deram a eles. Na segunda parede, o sexo se torna mais presente em retratos e cenas de nudez. Na terceira, há imagens feitas de dentro para fora ou de fora para dentro dos bares, das casas e de prostíbulos. E a quarta parede apresenta complexas montagens feitas com imagens de revistas no interior da zona, estabelecendo relações entre as fotografadas e outras representações do sexo e da mulher.

Já a mostra Toulouse-Lautrec em Vermelho traz ao público grande parte da produção do artista francês. O título da exposição faz alusão ao salão de entrada de um luxuoso bordel parisiense que o artista frequentou na década de 1890 e onde criou uma relação próxima com as mulheres que ali trabalhavam.

Nada Levarei Qundo Morrer Toulouse-Lautrec em Vermelho

Quando: até 1º de outubro

De segunda a domingo, das 10h às 18h e às quintas, das 10h às 20h

Onde: Museu de Arte de São Paulo (Masp)

Avenida Paulista, 1578, Bela Vista, São Paulo (SP)

Quanto: R$ 30, R$ 15 (meia-entrada). Grátis às terças

Informações: (11) 3149-5959

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: