Programa Prosseguir 2ª Edição

conheça

Atriz de 'Malhação' revela que foi bolsista como na novela: 'Me identifico'

Autor: Thayná Rodrigues Data da postagem: 14:00 29/09/2017 Visualizacões: 383
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Ellen é estudiosa em “Malhação” e sua intérprete também / Foto: Raquel Cunha - Rede Globo - Divulgação - Extra

Viver Ellen, em “Malhação — Viva a diferença”, tem proporcionado a Heslaine Vieira uma constante sensação de déjà-vu (ilusão da memória que leva o indivíduo a crer já ter vivido alguma situação). Na trama, a inteligente garota fica em êxtase ao receber a oferta de bolsa de estudos numa escola conceituada.

— Eu sempre fui nerd como a Ellen. Estudei com incentivo do colégio duas vezes na vida e me identifico com essa determinação e garra — admite a mineira, de 22 anos, que entrou a fundo no universo das tecnologias para compor a protagonista.

A dedicação foi tão intensa que, de sua casa, no Rio de Janeiro, a atriz se comunica com a avó Maria Braz,em Minas Gerais, por videoconferência no celular.

— Ela tem mais de 80 anos, é antenada e tem a cabeça superaberta! É uma caixinha de surpresas. Digo que ela e minha mãe são as minhas Five (apelido do grupo de amigas das personagens). É a elas que recorro sempre — explica, acrescentando: —Tenho também meu grupo de amigas CDFs (Cabeça de Ferro) com quem me encontro às vezes.

Se na história a menina fica eufórica com a proposta de bolsa, uma pendência tende a dividi-la: seu romance com Fio (Lucas Penteado), que ainda não virou namoro.

— Eles estão se descobrindo. Neste momento, acho que estão ficando. Eu também não sei como funcionam essas coisas (risos) — confessa ela, que prefere não falar sobre namoros, mas avisa: — Não sei se viveria uma relação sem rótulos na vida real. Eu prefiro fazer escolhas.

Uma dessas escolhas é interpretar, um dia, uma princesa dos contos de fada.

— Meu papel dos sonhos é de Cinderella — conta a artista, que já trabalhou em Mister Brau ao lado de Taís Araújo e Lázaro Ramos, duas de suas inspirações na carreira: — A representatividade, especialmente a negra, está crescendo. Que bom. Ficamos felizes.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: