Programa Prosseguir 2ª Edição

conheça

Taís Araújo vai viver cientista brasileira que enfrentou as desigualdades e se tornou PhD por Harvard

Autor: Vitor Paiva Data da postagem: 19:00 16/04/2019 Visualizacões: 377
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Taís Araújo vai viver cientista brasileira que superou pobreza e se tornou PhD por Harvard / Foto: Montagem - Reprodução - Hypeness

Filha de uma empregada doméstica e um profissional do curtume, a brasileira Joana D’Arc Félix de Souza seguiu desde muito cedo e sob o estímulo dos país o caminho da educação para superar a infância pobre, honrar o nome que lhe foi dado e se tornar uma das maiores cientistas do país. Depois de se tornar doutora em Química, com PhD em Harvard e receber 82 prêmios e uma carreira brilhante – com destaque para o prêmio Kurt Politizer de Tecnologia de “Pesquisadora do Ano” de 2014 – agora a extraordinária vida de Joana D’Arc Felix será transformada em um filme.

A informação foi trazida a público pela jornalista Patrícia Kogut, do jornal O Globo. A cinebiografia da cientista trará Taís Araujo no papel principal, em um projeto da Globo Filmes dirigido por Alê Braga. Foi o trabalho do pai com couro que levou Joana D’Arc à química, tornando-se a primeira pessoa da família a concluir o curso superior. Aos 14 anos de idade, Joana já havia sido aprovada nos vestibulares da USP, Unesp e Unicamp – onde enfim ingressou.

A cientista brasileira entre seus pares

A informação foi trazida a público pela jornalista Patrícia Kogut, do jornal O Globo. A cinebiografia da cientista trará Taís Araujo no papel principal, em um projeto da Globo Filmes dirigido por Alê Braga. Foi o trabalho do pai com couro que levou Joana D’Arc à química, tornando-se a primeira pessoa da família a concluir o curso superior. Aos 14 anos de idade, Joana já havia sido aprovada nos vestibulares da USP, Unesp e Unicamp – onde enfim ingressou.

Desde 1999 é docente e pesquisadora da Escola Técnica Prof. Carmelino Corrêa Junior, em Franca, sua cidade cidade natal, no estado de São Paulo. Na Escola, Joana desenvolve pesquisas com cimento ósseo a partir do colágeno do couro, assim como soluções para que os resíduos do couro não afetem o meio-ambiente. O prêmio Kurt Politizer veio especialmente a partir de sua pesquisa com aplicação de pele suína em transplante de pele para seres humanos. Não há ainda maiores informações sobre o resto do elenco do filme ou sua data de estreia.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: