EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Pesquisa aponta que 30% de empreendedoras negras necessitam do auxílio emergencial

Autor: Rafael Tatemoto Data da postagem: 18:00 30/07/2020 Visualizacões: 42
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Pesquisa aponta que 30% de empreendedoras negras necessitam do auxílio emergencial/Reprodução: Reconta Aí

Um levantamento do Instituto Identidades do Brasil (IDBR) apontou que, no contexto da crise econômica em decorrência da pandemia do novo coronavírus, 30% das empreendedoras negras passaram a ter o auxílio emergencial de R$ 600 como principal fonte de renda.

A segunda fase da pesquisa “Saúde Financeira das Mulheres Negras em tempos de Covid-19” apontou que, enquanto a primeira etapa da investigação considerava que “o Auxílio Emergencial não seria o suficiente para garantia das despesas”, os dados mais recentes indicam “que se tornou indispensável para a manutenção do sustento de muitas dessas mulheres e suas famílias”.

A coleta de dados ocorreu entre os dias 17 e 21 de julho, através da participação voluntária em um questionário digital. A amostra – perfis com respostas validadas como completas – foi de 294 mulheres.

Ainda assim, há relatos de situações em que o auxílio não foi obtido.

“Meu negócio é minha única fonte de renda durante a pandemia e ficamos fechados durante 3 meses. Sou microempresária não tenho condições de ter capital de giro. Estava em fase de ter loja virtual, mas necessita investimento financeiro. Não consegui ainda o auxílio da Caixa. Os bancos não disponibilizam empréstimo nesse momento, eu tentei”, afirma de forma anônima uma mulher de Minas Gerais na pesquisa.

Das entrevistadas, 49% relataram ter empreendimentos informais, e 45%, formais. A pesquisa aponta que mais da metade (60%) optou por empreender por necessidade.

“Tinha um emprego formal e era freelancer . Fui demitida do emprego formal e empreender é a única maneira”, diz outro dos depoimentos anônimos do levantamento.

A realidade das empreendedoras negras é também majoritariamente (53%) individual. O percentual aponta a quantidade de negócios de mulheres negras compostos de apenas uma pessoa.

O impacto mais amplo da situação financeira das mulheres negras empreendedoras pode ser mensurado pelo fato de que, entra as que se declararam mães, 41% arcam sozinhas com os gastos com os filhos.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: