Acesso ao pré-natal é pior para meninas negras e indígenas, diz pesquisadora da UFBA

Autor: Ana Bottallo Data da postagem: 14:00 06/01/2022 Visualizacões: 87
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
A professora e pesquisadora do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, Dandara de Oliveira Ramos, mestre em psicologia social e doutora em saúde coletiva pela Uerj/Reprodução: Folha de S. Paulo

Para professora do Instituto de Saúde Coletiva, desigualdade se reflete também em índices de maternidade na adolescência e mortalidade infantil

O racismo na sociedade brasileira começa a afetar pessoas negras e indígenas mesmo antes de elas nascerem. De acordo com dados preliminares de pesquisa conduzida por Dandara de Oliveira Ramos, do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a cor da pele interfere não só no acesso ao exame pré-natal, mas também no tipo de parto realizado pelos médicos.

Leia mais em https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2022/01/acesso-ao-pre-natal-e-pior-para-meninas-negras-e-indigenas-diz-pesquisadora-da-ufba.shtml

 

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: