5 sites pra ler e conhecer autores da nova literatura baiana

Autor: Vanessa Brunt Data da postagem: 18:00 17/05/2019 Visualizacões: 407
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
5 sites pra ler e conhecer autores da nova literatura baiana / Foto: Reprodução - Portal OXE

Dos contos ao cordel e das poesias aos ensaios, a leitura baiana vai para muito além das reflexões sobre o próprio povo (que também podem enriquecer quaisquer outras regiões). Como escritora e poetisa, posso afirmar de mãos cheias que, com questões e questionamentos cabíveis para quaisquer mentes e corações, existem diversos autores baianos com trabalhos inovadores abafados pelos novos mercados e que apresentam muitas obras apenas dentro da própria internet. Existirem ainda (ainda bem), os que têm conquistado prêmios e reconhecimentos pelo território nacional.

Mas, como encontrar listas acessíveis que trazem os nomes dessas novas vozes das artes escritas? Não somente nos catálogos das editoras baianas é que estão as promessas para os novos marcos da literatura local. Em sites que catalogam ou entrevistam autores da terra do dendê, é possível saber de todos os títulos já lançados por eles, ler trechos, obras completas e até acessar alguns dos seus e-books gratuitos, além de conhecer curiosidades sobre cada um.

Conheça cinco projetos online que enaltecem a literatura baiana, indo de um site que mapeia escritoras negras até outro que lista escritores contemporâneos dos mais diversos gêneros e das mais variadas faixas etárias. Conheça as trajetórias e as obras de cada um, além de escritos já disponíveis nos portais. É ler para conhecer:

1. Portal OXE

O Portal OXE visa apresentar escritores e poetas ativos na Bahia no novo século. São mais de 60 nomes inclusos no catálogo do site, no qual é possível ler algumas produções de cada artista listado. Os autores, das mais diversas faixas etárias, são de diferentes partes do estado e aparecem nas categorias de Contos, Cordel, Crônicas, Ensaio, Infanto Juvenil, Poema, Romance e Texto Lítero Musical.

Sempre buscando atualizações, o projeto, que também disponibiliza uma breve biografia de cada escritor, ainda promove a locação de livros para estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia na aba Biblioxe, onde é possível encontrar algumas obras gratuitas em PDF.

O portal é uma das ações da iniciativa OXE: Literatura Baiana Contemporânea, criado e mantido, desde 2014, pelo Instituto Federal, no campus Santo Amaro. O projeto objetiva promover a discussão de textos literários, com foco em leitores da nova geração, apresentando autores que selecionaram o estado como local de moradia e nicho de produção criativa. As ações incluiem círculos e oficinas de leitura, saraus, performances literárias, cursos de formação, estudo e pesquisa sobre autores e obras, criação de vídeos, além de outras atividades.

2. Escritoras Negras da Bahia

"Fala-se todo tempo de igualdade de gênero, de inserção da mulher no mercado de trabalho, em equidade de reconhecimento e respeito, mas na prática, as mulheres negras ainda encontram-se à margem do sistema". É assim que o site Escritoras Negras da Bahia, criado em 2017 pela jornalista e escritora baiana Calila das Mercês, de 28 anos, inicia a justificativa da sua existência dentro do próprio endereço da web.

Com o objetivo principal de registrar a memória e catalogar as escritoras baianas negras da contemporaneidade, o site fomenta e incentiva a rede de produção literária na Bahia. Podem ser encontradas mulheres poetas, contistas, romancistas e cordelistas que são reconhecidas por seu trabalho artístico.

São mais de 25 autoras catalogadas até então e, em cada perfil, é possível encontrar informações como minibiografias, redes sociais, citações e obras. O site ainda traz, na aba de Notícias, indicações de livros que estão sendo lançados pelas autoras e outras atualizações sobre as carreiras referências. Além disso, as autoras negras e baianas que não encontraram o próprio nome no projeto podem fazer o cadastro rapidamente na aba Cadastre-se, no topo do site.

3. Mapa da Palavra BA

Site que cataloga diferentes autores baianos da contemporaneidade, o projeto Mapa da Palavra, assim como é feito no Portal OXE, traz as vozes de diversas gerações em variados gêneros. É possível conferir uma minibiografia de cada autor incluso, bem como algum texto, a sua lista de publicações, o site próprio, meio de contato e, por vezes, até algum livro do artista que esteja disponível gratuitamente e online (bastando clicar para ler).

A ação é feita através de pesquisas e seleções da Coordenação de Literatura/Dirart da Funceb (Fundação Cultural do Estado da Bahia), entidade vinculada à SecultBA (Secretaria de Cultura do Estado da Bahia), e divide o Mapa em categorias como Conto, Dramaturgia, Cordel, Crônica, História em Quadrinhos, Intervenção, Poesia Visual, Romance e Performance.

O site ainda conta com uma revista, CartoGRAFIAS, que chegou, até então, em sua quarta edição. Cada volume segue a inspiração das estações do ano: Primavera, Verão, Outono e Inverno. Nela, é possível conferir produções inéditas dos mais diversos gêneros de diferentes autores catalogados no projeto.

4. Como Eu Escrevo

José Nunes (instagram.com/nunescnt) é professor e doutorando em Direito na Universidade de Brasília e criou o site Como Eu Escrevo para inspirar aqueles que desejam escrever mais, seja na área que for. A ideia de José é que, através de entrevistas com escritores, pesquisadores e filósofos – que dão dicas através das suas rotinas de produções –, os leitores possam visualizar novas e mais deleitosas maneiras para também escreverem ou para, ao menos, compreender melhor o processo criativo do autor entrevistado.

Apesar do site não ser baiano e nem focado apenas em nomes da literatura local, entrevistas com escritores diversos da Bahia não ficam de fora e frequentemente novos nomes da região aparecem em atualizações do projeto. Assim, o site acaba sendo mais um meio especial para quem deseja navegar em curiosidades sobre a nova literatura baiana.

Autores como Alexandra Patrocínio, membro efetivo da Academia de Cultura da Bahia; o soteropolitano Matheus Peleteiro, autor do cinco livros, como o O Ditador Honesto; e o contista formado na Ufba Evanilton Gonçalves, revelam suas respectivas rotinas, processo de escrita e importância da literatura nas entrevistas.

5. 16 Perguntas

O poeta baiano e soteropolitano Santiago Fontoura lançou, no final de 2018, o site 16 Perguntas. Nele, o foco fica para os autores baianos, mas não nega espaço para outros artistas nacionais. Seguindo a ideia de uma TAG, o fundador do projeto repete sempre as mesmas perguntas para cada escritor(a), que responde à sua maneira.

É possível encontrar entrevistas mais longas e autores que são sucintos em determinadas respostas, mas não menos sagazes. Ao final de cada entrevista, um trecho de uma produção literária do artista é também disponibilizado para o leitor.

Durante as entrevistas, é possível conhecer os títulos principais lançados por cada autor(a), o ritual de escrita de cada um, um livro de cabeceira deixado como dica, detalhes inusitados como signo e time de futebol e, ainda, respostas para indagações curiosas como "Escrever é “questão de vida ou morte”?". "Escrever é questão de 'ou'", respondeu um dos autores entrevistados, o Gustavo Rios.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: