Joseph Bologne: O compositor negro que influenciou Mozart

Autor: Divulgação Data da postagem: 16:56 07/10/2019 Visualizacões: 235
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Joseph Bologne: O compositor negro que influenciou Mozart

Joseph Bo(u)logne, Chevalier de Saint-George (Baillif ,Guadalupe, 25 de dezembro de 1745 — Paris, 10 de junho de 1799) foi campeão de esgrima, violinista virtuoso e condutor chefe da orquestra de paris. Nasceu em Guadeloupe, ele era filho de George Bologne de Saint-Georges. Durante a "Revolução Francesa", Saint-Georges foi coronel da legião de St. Georges, o primeiro regimento formado por negros em toda "Europa", lutando ao lado da República durante a "Revolução Francesa". Hoje Saint-Georges é relembrado como um dos primeiros músicos na Europa conhecido por ter ascendência africana.

Nasceu em Baillif, Basse-Terre, filho de George Bologne de Saint-Georges, um próspero senhor de terras e fazendeiro, e sua mãe era Nanon uma escravizada africana. Seu pai, conhecido por "de Saint-Georges" antes de ter plantações em Guadalupe, era um plebeu até 1757, foi quando ele recebeu o título de Gentilhomme ordinaire de la chambre du roi (Cavalheiro da câmara do rei). Teve uma novela romântica composta por Roger de Beauvoir em 1840 - Le Chevalier de Saint-Georges, a maioria dos biógrafos confundiu o pai de Joseph com Guillaume-Pierre de Boullogne, Controlador das Finanças, a o qual a família foi enobrecida no século 15. Isso levou a uma soletração errônea do nome da família de Saint-Georges como "Boulogne", persistindo até hoje, até mesmo na "Biblioteca nacional da frança: Bnf", Bibliothèque nationale de France.

Em 1753, o pai de Joseph o levou com a idade de sete anos para a frança para educá-lo. Dois anos mais tarde, em 26 de Agosto de 1755, tendo seu nome em uma lista de passageiros no navio L'Aimable Rose, Bologne de Saint-Georges e certamente a mãe de Joseph Nanon aportou em Bordeaux. Em Paris, reunido com seu filho Joseph, eles se mudaram para um espaçoso apartamento na 49 rue Saint André de Arts.

Joseph tinha 13 anos quando foi ingressado na Tessier de La Boëssière’s - Académie royale polythechnique de armes et de l'équitation (Academia real politécnica das armas e equitação). De acordo com La Boëssière’s fils, filho do mestre: "A os 15 ele (Saint-Georges) progrediu tão rápido, que ele já estava sendo o melhor espadachim, e aos 17 ele desenvolveu a maior velocidade imaginável". Ele ainda era um estudante quando ele venceu Alexandre Picard, um mestre em esgrima em Rouen, quem o apelidou de "Boëssière’s Mulato" em público. A luta teve muitas apostas que pelo público que era divididos entre partisans e abolicionistas, que foi uma importante vitória. Seu pai, orgulhoso de seu feito, o recompensou Joseph com um incrível cavalo e buggy. Em 1766 em sua graduação na Academia, Joseph foi feito um Gendarme du roi (Oficial do guarda costas do rei) e um Chevalier "Cavalheiro". Dali em diante Joseph Bologne, adotou o sufixo de seu pai "Chevalier de Saint-Georges".

Em 1764 no fim da Guerra dos Sete Anos, George Bologne pai de Joseph retPornou para Guadalupe para tomar conta de suas plantações, deixando a Joseph uma anuidade de 8000 francos e uma pensão adequada a Nanon mãe de Joseph que permaneceu em Paris com seu filho. De acordo com seu amigo, Louise Fusil: "... admirado pela sua esgrima e proezas, ele serviu como um modelo para jovens desportista ... e tinha a corte em sua volta". Um ótimo dançarino, Saint-Georges era convidado para jogos e salões (boudoirs) das damas da corte. "Parcialmente pela musica de ilaisons aonde amour para ele tinha um grande significado... ele amava e também era amado". Ele continuou com a esgrima diariamente em vários salles de paris. A onde ele conheceu os Angelos, pai e filho, mestres da esgrima de londres, os misteriósos Chevalier d'Éon, e o adolescente Luis Filipe II, Duque de Orleans, que teria um grande papel em seu futuro.

Saint-George escreveu sinfonias, cerca de 25 concertos para violino e orquestra, quarteto de cordas, Sonatas, e canções no estilo de Mozart e Haydn. Ele também escreveu pelo menos cinco óperas com uma possível sexta ópera, Le droit de seigneur.

G 2 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 1 em dó maior
G 3 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 2 em ré bemol maior
G 4 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 3 em sol menor
G 5 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 4 em dó menor
G 6 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 5 em sol menor
G 7 \ Quarteto de cordas Op. 1 No. 6 em ré maior
G 10 \ Concerto para violino Op. 1 No. 1 em ré maior
G 11 \ Concerto para violino Op. 1 No. 2 em dó maior
G 21 \ Concerto para violino Op. 1 No. 10 em ré maior
G 22 \ Concerto para violino Op. 1 No. 11 em sol maior
G 23 \ Sinfonia Concertante em ré bemol maior
G 24 \ Sinfonia Concertante em sol maior
G 25 \ Concerto para violino Op. 2 No. 1 em sol maior
G 26 \ Concerto para violino Op. 2 No. 2 em ré maior
G 27 \ Concerto para violino Op. 3 No. 1 em ré maior
G 28 \ Concerto para violino Op. 3 No. 2 em lá menor
G 29 \ Concerto para violino Op. 4 em ré maior
G 31 \ Concerto para violino Op. 5 No. 1 em dó maior
G 32 \ Concerto para violino Op. 5 No. 2 em lá maior
G 37 \ Sinfonia Concertante Op. 6 No. 1 em dó maior
G 38 \ Sinfonia Concertante Op. 6 No. 2 em si bemolmaior
G 39 \ Concerto para violino Op. 7 No. 1 em lá maior
G 40 \ Concerto para violino Op. 7 No. 2 em si bemolmaior
G 49 \ Sinfonia Concertante Op. 10 No. 2 em lá maior
G 50 \ Concerto para violino Op. 8 em sol maior
G 64 \ Sinfonia Concertante Op. 10 No. 1 em fá maior
G 65 \ Sinfonia Concertante Op. 9 No. 1 em dó maior
G 66 \ Sinfonia Concertante Op. 9 No. 2 em lá maior
G 67 \ Quarteto de cordas No. 7 em si bemol maior
G 68 \ Quarteto de cordas No. 8 em sol menor
G 69 \ Quarteto de cordas No. 9 em dó maior
G 70 \ Quarteto de cordas No. 10 em fá maior
G 71 \ Quarteto de cordas No. 11 em sol maior
G 72 \ Quarteto de cordas No. 12 em si bemol maior
G 73 \ Sinfonia Op. 11 No. 1 em sol maior
G 74 \ Sinfonia Op. 11 No. 2 em ré maior
G 75 \ L'amant anonyme
G 76 \ Sonata para piano e violino em si bemol maior
G 77 \ Sonata para piano e violino em lá maior
G 78 \ Sonata para piano e violino em sol menor
G 79 \ Sonata para cravo No. 3 em ré maior
G 80 \ Sonata para cravo No. 1 em dó maior
G 81 \ Sonata para cravo No. 5 em si bemol maior
G 82 \ Sonata para cravo No. 10 em fá maior
G 83 \ Sonata para cravo No. 4 em ré maior
G 84 \ Sonata para cravo No. 8 em ré maior
G 85 \ Sonata para cravo No. 2 em sol menor
G 86 \ Sonata para cravo No. 6 em ré bemol maior
G 87 \ Sonata para cravo No. 9 em ré maior
G 88 \ Sonata para cravo No. 11 em dó maior
G 89 \ Variações para piano & violino em sol maior
G 191 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 1 em ré maior
G 192 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 2 em si bemol maior
G 193 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 3 em fá menor
G 194 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 4 em sol maior
G 195 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 5 em ré bemol maior
G 196 \ Quarteto de cordas Op. 14 No. 6 em sol menor
G 209 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 1 em si bemol maior
G 210 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 2 em ré bemol maior
G 211 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 3 em lá maior
G 212 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 4
G 213 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 5
G 214 \ Sonata para violino Op. posth. 1 No. 6
G 215 \ Concerto para violino Op. posth. 2 em ré maior

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: