Programa Prosseguir 2ª Edição

conheça

Perifacon: a cultura geek nas periferias é conhecida no FIC19

Autor: Redação Coletiva.net Data da postagem: 12:00 01/11/2019 Visualizacões: 389
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Público do FIC19 conhece o Perifacon/Imagem: Reprodução - Coletiva.net

Andreza Delgado, idealizadora do projeto, contou bastidores do festival

Terceira palestrante do Teatro da Unisinos, Andreza Delgado, idealizadora do Perifacon, evento que simula a Comicon, porém, realizado nas periferias, falou para um público de cerca de 200 pessoas no Festival de Interatividade e Comunicação (FIC19). Ela lembrou como surgiu o projeto e também de alguns pontos marcantes do mesmo.

Sobre a iniciativa, contou que a ideia começou entre amigos. "Inicialmente, queríamos fazer um festival pequeno, uma feira de quadrinhos. Para dar continuidade à ideia, chamamos um pessoal da nossa quebrada, que produz esse tipo de conteúdo e incluimos uma palestra". Em seguida, recordou que foi feito um financiamento coletivo por meio da internet, com o objetivo de arrecadar R$ 2 mil, contudo, o sucesso foi tanto que conseguiram juntar quatro vezes o valor inicial. "Em 24 de março, colocamos mais de sete mil pessoas no Capão Redondo, bairro periférico de São Paulo, para a realização do evento. Foram cerca de 150 mídias realizando cobertura", lembrou Andreza.

Segundo ela, o Perifacon atingiu proporções enormes. "A ideia é que a gente possa incentivar esses artistas de periferia, mas não só os de São Paulo e, sim, de todas as regiões do Brasil. Não adianta fazer a Comicon da favela e privar as pessoas de receber algum conteúdo. O objetivo é justamente o contrário, misturar os universos." Do festival, participaram 44 artistas, foram oferecidas oito oficinas de temas diversos, cinco mesas de debates, dentre outras atividades.

Realizada, Andreza disse ser gratificante ver a sua ideia virar o 'rolê de domingo de várias famílias'. "Até hoje, fico impactada com o que foi o Perifacon. Fizemos um homem-aranha negro. Discutimos a representação do negro nas HQs", exemplificou. Segundo ela, o festival impactou tanto que, depois dele, foram realizados outros de proporções menores. Inclusive, lembrou, a SPTV realizou uma série sobre a cultura geek nas periferias da capital paulista.

A cobertura online está a cargo dos repórteres Bruno Dornelles, Ilana Xavier, Gabriela Boesel, Márcia Christofoli e Patrícia Lapuente. O portal é alimentado, bem como as redes sociais - Facebook, Twitter e Instagram, com fotos, reportagens e transmissões ao vivo. Esta cobertura conta com o apoio da BriviaDez e do Grupo RBS.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: