EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Estátua Marielle Franco: Preservar memória é lutar por justiça e reparação

Autor: Anielle Franco Data da postagem: 16:00 17/02/2021 Visualizacões: 41
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Estátua Marielle Franco: Preservar memória é lutar por justiça e reparação/Reprodução: UOL

Dos muitos fatos e eventos que marcaram o ano de 2020, uma imagem vai ficar na cabeça: a queda de estátuas de antigos colonizadores, escravocratas e assassinos. Dentro da estória que vem há séculos sendo contada sobre a história, erguer monumentos de assassinos e genocidas do povo preto é a materialização das estacas de uma sociedade estruturada a partir e no racismo.

Mas como já ouvimos em outros carnavais - ou melhor, quando tinha carnaval - chegou a hora de contar a história que a história não conta. Chegou a vez de erguer homenagens a quem realmente precisa ser celebrado: quem resistiu e perdeu sua vida lutando pelos direitos e a vida de todas as pessoas.

Neste domingo foi mais um dia 14 e daqui a um mês se completam 3 anos sem Marielle e Anderson. Ao longo de todo esse tempo, só tivemos uma certeza: preservar a memória de Marielle, de suas lutas e sua trajetória, assim como de mulheres e pessoas negras, é condição básica para conseguirmos continuar lutando por justiça e garantir que as futuras gerações a conheçam e sigam esse legado adiante. Homenagear as/os que vieram antes e as/os que se foram precocemente por uma necropolítica do Estado, é mais do que reconstruir a história do país - o que já é uma tarefa importantíssima - significa também lutar por justiça e por uma reparação histórica que atravessa e atravessará centenas de anos.

No entanto, eu repito: celebrem e homenageiem as mulheres e pessoas negras em vida. Não esperem até que um das nossas e dos nossos se vá. Por isso, no Instituto Marielle Franco, estamos sempre buscando regar e potencializar as sementes de Marielle. É por elas também que erguemos a Estátua Marielle Franco, pois a cada parte esculpida no mármore, é mais um recado sendo dado: não seremos interrompidas.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: