EDITAL EQUIDADE RACIAL

ACESSAR

Rapper cuiabana lança segundo videoclipe em evento junto a Lineker, Lay e Mc Linn da Quebrada

Autor: Isabela Mercuri Data da postagem: 11:00 20/08/2016 Visualizacões: 724
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
‘Não fica na reta’, segundo videoclipe da carreira da rapper cuiabana Kessidy Kess, foi lançado no último domingo no Music Video Festival 2016, no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Na última segunda (15), ele foi postado também no Vimeo e no Youtube. Falando sobre racismo, machismo, e sobre sua experiência diária. 

Diferente de sua primeira produção, que foi totalmente independente e filmada no CPA, bairro onde Kessidy nasceu, o novo videoclipe foi gravado em São Paulo com uma equipe extensa formada por diretor de arte, assistente de direção, figurinista, maquiador, colorista, finalizador, editor e mais.

Imagem do clipe 'Não fica na reta' (Foto: Youtube)

A rapper está em São Paulo há cerca de três meses, onde foi procurar novos contatos e oportunidades. “De início vim para passar pouco tempo, surgiram oportunidades e fui ficando. Mas logo menos volto para Cuiabá e vou me organizar para manter a conexão”, conta a rapper, em entrevista ao Olhar Conceito. 

Ela conta que logo que chegou em São Paulo marcou um ensaio fotográfico com Alysson Alapont, da ‘Sá Equipe’. Logo depois, já começaram a pensar na possibilidade de fazer um videoclipe. “Quando já tínhamos a idéia do que queríamos, colocamos as ideias no texto e mandamos o projeto para a produtora. Pra minha surpresa eles toparam e abraçaram a letra. Então a equipe foi se formando”. 

No lançamento, que aconteceu no último domingo, Kessidy ainda teve a oportunidade de cantar junto a nomes como Mc Linn da Quebrada, Lineker e Lay. “Foi uma energia massa, foi um encontro bem aproveitado”, relembra. 


Kessidy (Foto: Maria Reis)

Depois desse segundo clipe, a rapper agora busca gravar um álbum instrumental orgânico e, aos poucos, ir falando sobre si mesma. “Minha marca registrada é ser eu em todo lugar. Há espaços que recebo comentários e olhares estranhos por ser quem sou e não dá. Todo dia tem coisa do tipo, só de andar de trança vermelha um moço já benze seu corpo como se fosse algo maligno”, afirma. 

Sobre ‘Não fica na reta’, ela afirma que quis passar a mensagem de ‘ser quem você é’. “A importância de saber que o direito de escolha sobre você é seu. O poder de ser o que quiser, a quebra de conceitos de "mina de fé" e a minha reação quando saio na rua sem saber se volto, ou quando alguém tenta me dizer como eu fico "melhor/bonita”. Assista à íntegra do clipe:

Leia também:
Curta a nóticia:
Curta o CEERT: