Chamada Pública: ReIntegrar com equidade de raça e gênero para egressos do sistema carcerário ACESSAR

20 de novembro, o Dia de Zumbi e da Consciência Negra, poderá ser feriado nacional

Autor: Iara Farias Borges Data da postagem: 18:00 25/08/2021 Visualizacões: 184
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
20 de novembro, o Dia de Zumbi e da Consciência Negra, poderá ser feriado nacional/Reprodução: Rádio Senado

O dia 20 de novembro passará a ser feriado nacional como Dia de Zumbi e da Consciência Negra, conforme projeto (PLS 482/2017) do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) aprovado nesta segunda-feira (23) na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). A proposta torna nacional um feriado já adotado em várias cidades e estados, destacou o senador Izalci Lucas (PSDB-DF). O relator, senador Paulo Paim (PT-RS) lembrou que, em junho, o Congresso americano aprovou lei similar, que já valeu em 2021. O presidente da CE, senador Marcelo Castro (MDB-PI) defendeu o combate a todas as formas de preconceito.

De autoria do senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, o dia 20 de novembro passará a ser feriado nacional como o Dia de Zumbi e da Consciência Negra. Atualmente, várias cidades e estados já consagraram a data como feriado local, como explicou o senador Izaci Lucas, do PSDB do Distrito Federal.

Esse feriado já acontece em várias cidades do Brasil e em alguns Estados do Brasil, inclusive São Paulo. Há várias cidades de Minas Gerais, São Paulo também, vários Estados: Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro. Amapá, Piauí. Então, é só para reforçar que isso já foi reconhecido por diversos municípios e estados e que faltava realmente um reconhecimento nacional.

Ao afirmar que na data serão discutidos todos os tipos de preconceitos, o relator, senador Paulo Paim, do PT gaúcho, citou que, em junho, os Estados Unidos aprovaram uma lei similar, que já valeu este ano.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sancionou lei que transformou o dia 19 de junho em feriado nacional. A data comemora o fim da escravidão naquele país. É o mesmo fato que nós estamos agora aqui discutindo neste Plenário.

O presidente da comissão de Educação, senador Marcelo Castro, do MDB do Piauí, defendeu o combate a qualquer tipo de preconceito.

Essa questão do preconceito, isso é uma praga que é uma coisa odienta e que, infelizmente, acompanha a humanidade desde os seus primórdios, e, até hoje, há o racismo, o preconceito, a intolerância. Nós, seres que queremos ser civilizados, temos o dever de lutar todos os dias das nossas vidas, todas as horas, todos os minutos, todos os segundos para coibir esses preconceitos, essas intolerâncias, o racismo que se apresenta de todas as formas, em expressões, em gracejos, em piadas.

A proposta agora será analisada na Câmara dos Deputados.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: