Designer de interiores é morto dentro de veículo de aplicativo durante abordagem policial

Autor: Anderson Barbosa Data da postagem: 13:00 12/04/2019 Visualizacões: 387
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Em Aracaju, abordagem policial terminou com a morte de um inocente / Foto: Reprodução - G1 Globo

Familiares disseram que ele voltava para casa quando foi atingido pelos disparos.

O designer de interiores Clautênis José dos Santos, 37 anos, morreu na noite desta segunda-feira (8) dentro de um veículo de aplicativo após ser atingido por tiros durante uma abordagem policial no Bairro Santos Dumont, na Zona Norte de Aracaju (SE).

Ao G1, a tia de Santos disse que ele estava acompanhado de um amigo e os dois haviam deixado a igreja Nossa Senhora Aparecida, por volta das 21h30, no Conjunto Bugio e estavam indo para casa, no município de Barra dos Coqueiros, quando ele foi alvejado.

Familiares contaram que Clautênis chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ainda segundo eles, os disparos partiram de uma equipe policial que teria pedido para o motorista parar o carro. O condutor do veículo também foi baleado, e liberado após atendimento médico. Já o outro passageiro não foi atingido.

"O veículo foi abordado pelos policiais, que estavam encapuzados. Eles chegaram atirando no meu irmão, que estava no banco do passageiro. O amigo dele conseguiu se abaixar e não foi atingido. Ele inclusive ouviu quando os policiais disseram ter matado o cara errado", contou o irmão da vítima, Cleverton dos Santos.

"Ele não tinha nenhuma passagem pela polícia e era um rapaz do bem, não era marginal. Todo mundo conhecia meu sobrinho. A gente quer justiça", desabafou Marie Ieda Santos, tia da vítima".

O corpo de Clautênis José dos Santos foi sepultado na tarde desta terça-feira (9) no município da Barra dos Coqueiros (SE).

O que diz a polícia

Delegado fala sobre investigação da morte de designer durante abordagem policial

Segundo o delegado da Polícia Civil, Jonathan Evangelista, uma equipe da Divisão de Roubos e Furtos de Veículos estava verificando uma denúncia e ao retornar da ocorrência abordou o carro na mesma região, onde de acordo com ele, a polícia tem recebido denúncias de condutores de aplicativos que são vítimas de roubo.

O delegado disse também que é prematuro fazer qualquer avaliação sobre o caso que está sendo investigado. “O objetivo é que a apuração seja bastante rigorosa. As versões que estão correndo nos aplicativos não são as versões que estão no papel. Temos cinco oitivas que precisam ser confrontadas. E temos que tratar o caso com bastante seriedade. Precisamos aprofundar as investigações, para que a conclusão seja real e transmita o que realmente aconteceu”, disse o delegado.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e acompanhado pela Corregedoria de Polícia.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: