As estratégias dos movimentos negros nas denúncias de violência policial e discriminação

Autor: Antonio Carlos Quinto Data da postagem: 12:00 31/05/2021 Visualizacões: 199
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
As estratégias dos movimentos negros nas denúncias de violência policial e discriminação/Foto: Reprodução - El País

Na pesquisa de doutorado intitulada Gramática Negra contra a violência de Estado: da discriminação racial ao genocídio negro (1978-2018), o sociólogo Paulo César Ramos identificou o

Na pesquisa de doutorado intitulada Gramática Negra contra a violência de Estado: da discriminação racial ao genocídio negro (1978-2018), o sociólogo Paulo César Ramos identificou o que denomina “pontes semânticas” que pautaram os movimentos negros em suas denúncias contra a violência de Estado, mais especificamente a policial. “Esse estudo é uma continuidade de meu programa de mestrado e tem a ver com minhas relações com o movimento negro. Percebi que  emergia uma nova agenda de luta, que era contra o genocídio da juventude negra. No doutorado procurei localizar qual o papel da violência policial nessa denúncia contra o genocídio”, explicou o sociólogo.

Em seu estudo, que teve a orientação da professora Márcia Lima, Ramos traçou um histórico, entre os anos de 1978 e 2018, das formulações políticas, denúncias, proposições e bandeiras de luta das organizações negras contra a violência policial no Brasil. Com base na análise de documentos políticos encontrados em acervos privados, fornecidos por lideranças dos movimentos negros, e entrevistas pessoais, Ramos reconstituiu alguns casos emblemáticos de violência policial que ganharam a atenção das organizações negras, da mídia e da política institucional.

O trabalho foi construído, principalmente, a partir da reconstrução dos protestos em casos emblemáticos de violência policial e as análises permitiram ao pesquisador identificar o que ele denomina “pontes semânticas”. “É a partir dessas ‘pontes’ que o movimento então se organiza na luta”, descreve. Assim, ele estabeleceu três períodos de protestos: a discriminação racial (1978-1988), a violência racial (1989-2006) e o genocídio negro (2007-2018).

 

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: